quinta-feira, 16 de março de 2017

RESVERATROL: O SEGREDO DA LONGEVIDADE

Encontrado no vinho tinto e em alimentos como a uva vermelha e o mirtilo (blueberry), o resveratrol é uma substância que tem sido relacionada a uma série de benefícios à saúde.

Estudos desenvolvidos na última década indicam que o resveratrol pode combater inflamações e até mesmo oferecer proteção contra doenças cardiovasculares e determinados tipos de câncer.


O composto também parece ser um aliado na eterna luta contra o envelhecimento, propriedade esta que rendeu ao resveratrol o codinome de “pílula da longevidade”.

O que é o Resveratrol exatamente?
Resveratrol é um composto fenólico produzido naturalmente por algumas plantas com a finalidade de se proteger contra os ataques de fungos, bactérias e outros agentes patógenos. Cientistas encontraram resveratrol em uvas escuras, amendoim, algumas frutas vermelhas e pistaches.

Como está presente na casca da uva, o resveratrol também é encontrado no vinho tinto e no suco de uva.

Para Que Serve?
Uma das propriedades do resveratrol mais importantes para a saúde humana é o potencial antioxidante do composto.


Da mesma maneira que repele agentes agressores, o resveratrol também serve para combater radicais livres que danificam as células e promovem o envelhecimento precoce.

E como ainda apresenta atuação anti-inflamatória, o resveratrol pode ser utilizado para prevenir doenças do coração, baixar o colesterol LDL, reduzir inflamações crônicas e reduzir o risco de desenvolvimento de Alzheimer.

Todas essas propriedades do resveratrol atuam em conjunto para proteger o organismo e poderiam ajudar a prolongar a vida saudável.

– Aumenta a resistência física
Em 2012, pesquisadores divulgaram um estudo que afirmava, entre outras coisas, que o resveratrol pode beneficiar o músculo esquelético, aumentando a resistência física. No teste animal que teve duração de 12 semanas, foi observado que a suplementação com resveratrol promoveu um aumento na resistência física, no metabolismo oxidativo e melhorou a função cardíaca.

Segundo os autores do estudo, quando combinado com treinos de resistência, o resveratrol levou a um aumento de 21% no desempenho.

E se levarmos em consideração que o resveratrol reduz inflamações (bastante comuns em quem treina com intensidade) e melhora a função cardíaca, temos que o composto pode ser uma ótima adição à rotina dos praticantes de esporte.

– Melhora as taxas de colesterol
O resveratrol reduz a síntese de colesterol “ruim” (ou LDL), o tipo de lipoproteína que tende a se depositar na parede dos vasos sanguíneos e favorece a formação de placas. Quando isso ocorre, pode haver inicialmente uma elevação da pressão arterial, e mais adiante uma obstrução dos vasos.

Além de diminuir a produção de colesterol LDL pelo fígado, o resveratrol também impede a oxidação do mau colesterol, o que resulta em uma menor absorção das micropartículas de gordura no intestino.


E não param por aí os benefícios do resveratrol no controle das taxas de colesterol: o antioxidante também estimula a produção de HDL, o tipo de colesterol que tem efeito cardioprotetor, isto é, que impede que depósitos de gordura se acumulem na parede das artérias.

– Reduz a Pressão Arterial
Como mencionamos acima, o acúmulo de LDL pode reduzir o diâmetro dos vasos sanguíneos, o que acaba por aumentar o trabalho do coração. Isto porque o órgão passa a ter que bombear o sangue com mais “força” para poder vencer a resistência oferecida pelos vasos.

Na prática, esse incremento na intensidade dos batimentos cardíacos não apenas aumenta a pressão arterial como também aumenta o risco de problemas cardiovasculares.

Ao combater inflamações, reduzir a formação e o depósito de gordura nas artérias, o resveratrol contribui para a saúde dos vasos sanguíneos e pode evitar a elevação da pressão arterial.

– Retarda o envelhecimento do organismo
Em uma revisão científica publicada em 2009, pesquisadores observaram que, com base em diversos estudos científicos, era possível afirmar que o resveratrol pode ajudar a prevenir doenças relacionadas ao envelhecimento (como a inflamação crônica e as doenças degenerativas).

Uma pesquisa mais recente demonstrou que o resveratrol foi responsável por uma redução nos processos inflamatórios de um pequeno grupo de voluntários. No estudo, publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, participantes receberam ou um placebo ou cápsulas com 40mg resveratrol diariamente durante seis semanas.

Ao final da pesquisa, notou-se que o grupo que ingeriu o resveratrol apresentava menos estresse oxidativo (ou seja, menos atividade nociva dos radicais livres) e inflamação do que os voluntários que apenas receberam um placebo.

Segundo os pesquisadores autores do trabalho científico, esse resultado sugere que o resveratrol pode ser utilizado para prevenir o diabetes do tipo 2 e complicações cardíacas.

E além disso, o composto pode também favorecer a manutenção da saúde do organismo como um todo, contribuindo tanto para a saúde interna quanto para o aspecto estético.

– É bom para o cérebro
Em doses elevadas (entre 250 e 500 mg), o resveratrol se mostrou capaz de aumentar o fluxo de sangue para o cérebro. Ao aumentar a oferta de oxigênio e nutrientes para os neurônios, o resveratrol poderia auxiliar na função cognitiva.

Pesquisadores do Max Planck Institute, na Alemanha, forneceram 200 mg de resveratrol a 23 participantes (com idades entre 50-75 anos) durante 26 semanas. Outros 23 voluntários receberam apenas um placebo.

Ao final do estudo, aqueles que consumiram o resveratrol diariamente apresentaram um aumento significativo na conectividade funcional do hipocampo, a área do cérebro que participa da formação, organização e estocagem de nossas memórias.

Quando comparado ao grupo controle, os participantes que receberam cápsulas de resveratrol também demonstraram uma maior facilidade para memorizar palavras, o que pode ser um seguro indicativo de melhora da função neuronal.

Outra propriedade do resveratrol na função cerebral diz respeito à sua atuação nos mecanismos sinalizadores intracelulares. O composto presente na uva reduz a toxicidade causada pelo glutamato, um aminoácido que atua como neurotransmissor e que pode estar relacionado ao surgimento do Alzheimer.

Segundo cientistas da prestigiosa Universidade John Hopkins, o resveratrol ainda oferece proteção contra o AVC (acidente vascular cerebral), doença que também tem causas semelhantes às do ataque cardíaco.

– É um poderoso Antioxidante
O resveratrol se destaca entre os antioxidantes graças à sua capacidade de atravessar a barreira hematoencefálica, propriedade que ajuda a proteger o cérebro e o sistema nervoso.

E além de aumentar a proteção dos neurônios contra os radicais livres, o resveratrol também combate os danos que poderiam ser causados pelos radicais em outras células do corpo, como as da pele e as que compõem o sistema cardiovascular.


Ou seja, a ingestão regular de resveratrol pode melhorar a saúde da pele, do coração, dos vasos sanguíneos e ainda impedir que as células do sistema nervoso se degenerem por ação dos radicais livres.

– Pode combater a obesidade
Estudos desenvolvidos com animais têm encontrado evidência de que o resveratrol pode ser utilizado no tratamento do sobrepeso e da obesidade.

Em uma das pesquisas mais recentes sobre os efeitos do resveratrol no controle do peso, cientistas descobriram que a substância pode favorecer a ação da adiponectina, um hormônio que estimula a oxidação de gordura.

E além de estimular a queima de gordura através da adiponectina, o resveratrol também previne a resistência à insulina, impedindo que mais estoques de gordura sejam formados no organismo.

Embora o estudo publicado no Journal of Biological Chemistry tenha sido desenvolvido com culturas celulares e modelos animais, o resveratrol parece ter um potencial real na luta contra a obesidade.

Isso porque, além de melhorar o metabolismo da insulina e dificultar o acúmulo de gordura, o resveratrol também reduz as inflamações, que como todos nós sabemos são uma das maiores vilãs do sobrepeso.

Por último, um estudo alemão de 2014 sugere que o resveratrol reduz o percentual de gordura corporal ao mesmo tempo em que aumenta os níveis de leptina, um hormônio que controla as reservas de lipídios e o apetite.

– Seria eficaz para inibir o câncer
Infelizmente não há pesquisas que indiquem que o resveratrol cura o câncer, mas o composto parece ser eficaz na prevenção de alguns tipos de tumores.

Um estudo francês publicado nesta década concluiu que o resveratrol pode ser considerado um eficiente agente antitumoral, pois foi capaz (em laboratório) de frear o desenvolvimento de células cancerígenas.

Essa propriedade do resveratrol se deve muito possivelmente à sua atuação na apoptose, ou morte celular programada. Ao induzir a morte das células mutantes, o composto antioxidante pode ajudar a prevenir e tratar os tumores de mama, pele, esôfago e intestino.

– É um grande aliado do coração
Este é certamente um dos mais conhecidos benefícios do resveratrol. O resveratrol faz bem para o coração porque reduz as inflamações, diminui o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos e controla a pressão arterial.

Um estudo canadense demonstrou voluntários que consumiam de 1 a 2 copos pequenos (140ml) de vinho por dia apresentaram uma redução bastante significativa no risco de desenvolvimento de arteriosclerose.

A bebida (que, como nós sabemos, é rica em resveratrol), também foi responsável por uma queda de 30% no risco de morte por doenças cardíacas.

– Protege os ossos
O composto encontrado na casca das uvas escuras pode influenciar o metabolismo ósseo através do estímulo à diferenciação das células da matriz óssea.

O resveratrol parece também atuar sinergisticamente com a vitamina D, outro nutriente essencial para a formação do tecido ósseo.

– Previne o diabetes
Estudos divulgados nos últimos anos têm demonstrado que o resveratrol melhora a sensibilidade à insulina através de seus efeitos sobre a SIRT-1, uma enzima que influencia muitas etapas do processamento da glicose no fígado, pâncreas, músculo e tecido adiposo.

Assim, o resveratrol estimula caminhos metabólicos que permitem um uso mais eficiente da insulina e da glicose, efeitos que resultam em uma redução nas taxas de açúcar no sangue.

Mas o resveratrol não serve apenas para prevenir o diabetes: a substância também protege o corpo contra alguns dos efeitos colaterais da doença, como a síndrome do pé diabético (perda da função neural e redução da circulação), doença renal e retinopatia diabética.

– Aumenta a produção de testosterona
A produção natural de testosterona pelo organismo começa a ser diminuída a partir dos 30 anos, mas a prática de exercícios e o consumo de alimentos ricos em resveratrol podem ajudar a atenuar esse declínio.

Em um estudo coreano desenvolvido com ratos, a concentração de testosterona no sangue aumentou em até 50% após a ingestão diária de resveratrol durante um período de 28 dias.

E você já sabe: entre outras funções, a testosterona é essencial para a formação e crescimento da musculatura.

– Faz bem para a pele
Um crescente número de estudos parece confirmar que, ao estimular as proteínas celulares conhecidas como sirtuínas, o resveratrol pode prolongar o tempo de vida de diversos tipos de células, e assim melhorar a saúde de tecidos como a pele.

Liderados pelo Dr. David Sinclair da Universidade de Harvard, pesquisadores descobriram que o resveratrol aumenta a atividade das mitocôndrias, as pequenas estruturas celulares responsáveis pela produção de energia dentro das células.

Com isso, o resveratrol poderia potencialmente prolongar a vida celular, uma vez que haveria energia suficiente para que elas continuassem com seu metabolismo habitual.

Baseado neste e em outros estudos, o resveratrol passou a ser utilizado como um ingrediente em cremes antienvelhecimento, que servem não apenas para melhorar o aspecto da pele como também para prevenir a degradação do colágeno.

E o que o resveratrol tem a ver com o colágeno? Bem, nossa pele precisa desta proteína para ficar “firme”, jovial e vistosa. Mas, infelizmente, com o avançar da idade e alguns maus hábitos de vida (alimentação incorreta, tabagismo, exposição aos raios ultravioleta do sol, poluição), o colágeno vai sendo “destruído”, e o resultado é uma pele com cada vez mais rugas, marcas de expressão e flacidez.
Ao bloquear a ação dos radicais livres, o resveratrol auxilia na “proteção” do colágeno, o que acaba por garantir um aspecto mais saudável à pele.

Finalmente, de acordo com um pequeno estudo publicado no American Journal of Clinical Dermatology, o resveratrol também pode ser eficaz no tratamento da acne.

Não existe até o momento uma dose ideal de resveratrol, uma vez que a maior parte dos estudos é conduzida com concentrações bastante elevadas do composto.

E qual a melhor maneira de tomar resveratrol?
Apesar do vinho apresentar muitos benefícios, ele é obviamente uma bebida alcóolica, o que o torna pouco atraente para o consumo diário (sobretudo para quem pratica atividade física, já que o álcool e a regeneração muscular não são exatamente amigos).

As uvas escuras e demais alimentos ricos em resveratrol ainda são a melhor opção para ingerir o nutriente, mas elas não apresentam um teor tão elevado do composto como os suplementos.

O ideal, portanto, é usar RESERVE™ que contém uma quantidade ótima de 75 mg de resveratrol por dose e desfrutar de todos os benefícios. 


Para saber como incluir o RESVERATROL na sua dieta, fale comigo. 

Telefone/Whatsapp: Marcio (21-98198-6559)


Fonte:
https://examine.com/supplements/resveratrol/
http://lpi.oregonstate.edu/mic/dietary-factors/phytochemicals/resveratrol
http://www.health.harvard.edu/blog/resveratrol-the-hype-continues-201202034189
http://www.livescience.com/39125-foods-good-sources-resveratrol.html
http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2009/08/18/the-secrets-of-resveratrols-health-benefits.aspx
https://www.verywell.com/benefits-of-resveratrol-89581
http://www.webmd.com/heart-disease/resveratrol-supplements
http://www.mundoboaforma.com.br/resveratrol-para-que-serve-beneficios-e-dosagem/#3rpX7RoZZztAkIqI.99



Nenhum comentário:

Postar um comentário