terça-feira, 6 de setembro de 2016

Vereador Marcio Garcia repudia agressões contra guardas municipais

O vereador Márcio Garcia (REDE) manifestou repúdio às cenas de violência registradas em um vídeo gravado por usuários da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, contra agentes da Guarda Municipal.O parlamentar comentou o fato ocorrido no último domingo (4/9), no Parque de Madureira e, no mesmo dia, o confronto se repetiu na recepção da UPA, protagonizado por um grupo de frequentadores da área de lazer, que atacou à pauladas, socos e pontapés os agentes municipais, entre eles uma mulher. No Plenário da Câmara, Garcia criticou a postura da Prefeitura em não oferecer aos servidores da GM melhores condições de trabalho e considerou desrespeitosa e absurdas as agressões cometidas contra uma mulher, que estava cumprindo o seu papel profissional de manter a ordem pública.

O jornal O Dia publicou nesta terça (6) o confronto entre os usuários do Parque de Madureira e os GMs. Trechos da reportagem foram lidos pelo vereador no seu discurso. "Recorro ao Plenário para atender a uma categoria que tenho muito respeito, os Guardas Municipais. Este assunto é recorrente e que, também, não é exclusividade dos guardas, mas consequência da escalada de violência que estamos submetidos na nossa cidade. E servidores da Segurança Pública ficam ainda mais expostos", afirmou o parlamentar.  
Momento em que uma guarda municipal é agredida dentro da UPA. Reprodução Internet

Garcia relatou a dinâmica das agressões contra os guardas, usando como fonte a reportagem e denúncias recebidas no seu gabinete. No entanto, ele disse que não poderia reproduzir o vídeo na sessão plenária por se tratar de cenas fortes e chocantes, se referindo, principalmente, os socos e pauladas deferidos contra a agente da Guarda. As imagens mostram a profissional sendo atingida no rosto por um soco dado por um dos acusados de agressão no Parque de Madureira. "Quero disser da minha indignação nas redes sociais para que todos possam observar o trabalho da Guarda Municipal como eu vejo. Eles atuam para maior segurança e conforto da população", ressaltou.

Segundo o vereador, esta não é primeira denúncia feita pela categoria ao seu gabinete envolvendo agressões praticadas durante os trabalhos nas ruas do Rio, em consequência da falta de estrutura no ambiente de serviço. Garcia citou outras cenas de violência contra agentes da GM também no Parque de Madureira, em outros períodos. "Existem regras para o usuário usufruir da melhor forma possível estes locais [áreas de lazer]", disse Garcia. O vereador estava se referindo aos supostos motivos que levaram às agressões contra os agentes, no último domingo. Segundo os relatos no jornal e pelas denúncias, uma comerciante procurou os guardas logo após ser desrespeitada por um grupo de frequentadores, que se recusou a devolver as cadeiras da sua barraca no horário de fechamento do Parque. Um dos guardas pediu reforço para a corporação e foi o primeiro a ser agredido. Com a chegada da equipe, um tumulto generalizado tomou conta do lugar. As novas agressões foram registradas em vídeo na UPA para onde foi levado o guarda ferido.

"A falta de respeito deste grupo [de agressores] foi tão grande que eles nem respeitaram os pacientes que estavam na UPA esperando por atendimento, o que poderia agravar o estado de saúde dos pacientes", destacou Garcia no seu discurso. O vereador finalizou a sua fala na tribuna fazendo um alerta: "desta vez não houve registro de feridos graves, mas num próximo episódio de violência não sabemos se teremos vítimas fatais, provavelmente um guarda municipal, porque eles continuam trabalhando submetidos às condições inadequadas e sem qualquer segurança. O poder público está omisso em deixar o seu servidor expostos a tantos riscos, diariamente".


Nenhum comentário:

Postar um comentário