sábado, 2 de julho de 2016

RJ: Dia Nacional do Bombeiro com a marca da violência. Sargento da corporação é morto por criminosos

O Dia Nacional do Bombeiro neste 2 de julho de 2016 tem início com uma notícia que ninguém gosta de publicar, mas que está a cada dia mais presente na rotina do carioca, em uma cidade dominada pela criminalidade. O 2o. Sargento do Corpo de Bombeiros Antônio Marco da Silva, de 42 anos, foi morto no final da noite desta sexta-feira (1/7) por criminosos, em São Gonçalo, na Região Metropolitana. De acordo com as primeiras informações, o bombeiro, que era lotado no Quartel Central do Rio, no Centro, foi parado em uma falsa blitz na BR-101, no bairro Santa Luiza. Silva estava armado e reagiu quando percebeu que a abordagem era feita por criminosos, mas foi atingido por disparos. 


Apelidado de "Tio Chico", o sargento dos Bombeiros era um dos agentes mais bem preparados da corporação no estado, especialmente na área de operações com produtos perigosos, na prevenção e combate em caso de guerra química. "Ele [sargento Antônio Marco da Silva] era apaixonado pela profissão. Um dos homens mais bem preparados, porque fazia muitos cursos, até fora do Rio e pagando com recursos próprios. Era instrutor na Escola de Recrutas e deixou um legado muito importante", diz o amigo de farda, Camilo Quintela. 

O clima era de muita tristeza e lágrimas na manhã deste sábado (2/7) no Quartel Central dos Bombeiros, onde aconteceu uma homenagem aos 160 anos da corporação. O sargento Silva deixa a esposa grávida e duas filhas. Ainda não foram divulgadas informações sobre o velório e sepultamento do bombeiro. 

>> Sargento do Corpo de Bombeiros é morto em São Gonçalo

Sargento do Corpo de Bombeiros Marco Antônio da Silva. Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário