quinta-feira, 30 de junho de 2016

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

Em 2 de julho comemoramos o Dia do Bombeiro Militar, uma das profissões de maior credibilidade no mundo. Tenho orgulho de fazer parte desta corporação, constituída por homens e mulheres de fibra, espírito patriótico e que no seu cotidiano não têm medo de colocar em risco as suas vidas em prol do bem estar da sociedade. Nem em momentos de crise, como esta que estamos vivendo no Rio de Janeiro, os bombeiros deixam de colocar como prioridade a missão de salvar vidas.


Nesta data comemorativa, quero dizer do meu repúdio ao tratamento que vem sendo dispensado pelo governo à nossa categoria e a todos os servidores do estado declaradamente falido. Os bombeiros no Rio estão sofrendo com a falta de infraestrutura nos seus postos de trabalho, o que não só compromete o serviço à população, como coloca em risco a vida destes profissionais.



Os postos de salvamento na orla da cidade estão em péssimas condições, sem os equipamentos adequados e com as suas acomodações sucateadas - até degrau está faltando em escadas de acesso às unidades. O número de guarda-vidas é muito aquém do necessário para manter a segurança do banhista e a deficiência acaba por sobrecarregar os servidores. As ambulâncias estão sem condições de atender a população, em estado precário e sem qualquer higienização.



Além do cenário desolador no ambiente de serviço, os bombeiros vivem, atualmente, um drama sem igual em relação aos seus direitos salariais. Assim como vem acontecendo com todos os trabalhadores da rede estadual, os atrasos sucessivos no calendário de pagamento vêm transformando a vida dos bombeiros em um verdadeiro caos. Sem dinheiro até para se deslocarem para o trabalho. Estes bravos profissionais estão caminhando  quilômetros para chegarem aos seus postos, num desgaste enorme e desumano. No seu horário de folga, o desespero toma conta: como pagar as contas, como fazer as compras do mês para sustentar a família, como pagar as dívidas crescentes?



Em situação pior ainda se encontram os inativos e pensionistas, que precisam de cuidado médico e remédios que não estão encontrando condições financeiras de manter. Se, por um lado, o governo estadual ignora estes valorosos profissionais da Segurança Pública, por outro, a solidariedade une a classe em apoios financeiro e moral, entre colegas de farda que surgem de todos os cantos do estado. Este é o exemplo dos nossos heróis e suas famílias, que não mereciam passar por tamanhas dificuldade e humilhação causadas pelo poder público.

Nem um passo daremos atrás. Vamos adiante na busca pelos nossos direitos e para melhor atender a nossa sociedade, pois esta foi a nossa escolha de vida e profissional. Neste 2 de julho, desejamos que as autoridades e governantes reflitam sobre a importância do trabalho dos bombeiros e possam valorizar a categoria. Para que, no próximo ano, tenhamos motivos para comemorar junto ao povo do Rio de Janeiro.  








Nenhum comentário:

Postar um comentário