quinta-feira, 30 de junho de 2016

CBMERJ forma turma com quase 300 guarda-vidas. Mas praias continuam com déficit de agentes.

A formatura de uma turma com quase 300 bombeiros guarda-vidas na manhã desta quinta-feira (30/6), na Escola de Bombeiros Coronel Sarmento do Corpo de Bombeiros, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio de Janeiro, teve uma representatividade para além da conquista do diploma. 

A chegada dos novos agentes na corporação foi comemorada também pelos veteranos, que há muitos anos vinham reivindicando por reforço nas atividades de salvamento em postos da orla carioca. Após um longo período de negociação com o governo, o vereador Marcio Garcia (REDE) e os guarda vidas conquistaram a abertura do concurso público, que resultou no novo contingente de agentes diplomados.

Formatura da turma de guarda-vidas. Fotos: Ascom vereador Marcio Garcia
O curso de formação de guarda-vidas é reconhecido por entidades mundiais, pelos seus treinamentos e provas rigorosos, representando verdadeiros desafios aos candidatos. "Somente os melhores conseguem a classificação final. É realmente um curso duro e muito pesado, como exige a prática da profissão", conta o vereador Marcio Garcia, que é major do Corpo de Bombeiros. O período do instrução é de quase um ano e os candidatos passam por avaliações práticas e teóricas. Os diplomados serão encaminhados em breve aos postos de salvamento nas praias do Rio. 


Mesmo com o reforço de novos guarda-vidas, a orla do Rio continua com este serviço deficitário, na análise de Garcia. Nas estimativas do parlamentar, a corporação deveria estar formando hoje uma turma de, pelo menos, mil agentes para atender de forma segura os banhistas. A proporcionalidade calculada pelo parlamentar leva em conta a extensão da orla e as características do serviço. "Esta atividade tem o corpo do agente como ferramenta de trabalho. Há um desgaste físico muito grande e ele [guarda-vida] precisa ter o seu descanso. Não tem como deixar um guarda-vida trabalhar sozinho em um posto de salvamento", frisa Garcia.


Outro fator preponderante diz respeito à cultura do carioca, que tem nas praias o seu entretenimento favorito. "As nossas praias ficam dentro da cidade, o que contribui com a frequência diária, além da característica turística do Rio. Mesmo nos dias nublados, as praias recebem os seus frequentadores assíduos", salienta o vereador.




Leia mais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário