A lógica das Olimpíadas: Prefeitura derruba "Policlínica dos Bombeiros" e secretário de governo recebe homenagem

Uma cena polêmica chama a atenção na inauguração do Centro Médico João de Deus, direcionado ao atendimento dos agentes do Corpo de Bombeiros (CBMERJ) após a demolição da Policlínica que atendia a classe, em Campinho, na zona Norte do Rio. No evento, na manhã desta terça-feira (31/6), o secretário de Governo Pedro Paulo Carneiro recebeu uma placa de homenagem do comandante-geral do CBMERJ, coronel Ronaldo Alcântara, pela obra inaugurada pela Prefeitura, apesar de não finalizada. A antiga unidade hospitalar foi derrubada para dar lugar a construção de um trecho do BRT, estimado no projeto de intervenções para os jogos olímpicos. 

Ex-secretário de Governo de Eduardo Paes, Pedro Paulo Carneiro. Foto: Divulgação CBMERJ 
A pergunta que fica no ar: qual a necessidade de uma homenagem a uma autoridade que não estava fazendo nada além que tentar reparar e sanar os transtornos causados com a demolição da unidade médica que há anos era destinada aos bombeiros? Afinal, no períodos das obras, o atendimento médico foi improvisado em um container! 

Porque inaugurar uma obra inacabada? Será que é porque esgotou o prazo para o Secretário de governo e pré-candidato poder participar?

Ficou feio até para o Cel Alcântara, que sempre discursou de forma veemente contra o oportunismo político, e agora se envolve numa fanfarronagem dessas.

Segundo informações do governo do Estado, as intervenções no "Centro Médico dos Bombeiros" teve investimento superior a R$ 4,4 milhões e deve atender um número maior de pacientes, com mais conforto e sofisticação. O custo dos serviços de demolição não foi divulgado. A inauguração aconteceu no último dia de Pedro Paulo no cargo executivo. O secretário pediu afastamento para entrar na corrida eleitoral para prefeito do Rio em outubro deste ano.



Inauguração do novo "Centro Médico dos Bombeiros". Foto: Divulgação CBMERJ 

Nos bastidores do evento de inauguração, os comentários não eram nada favoráveis à candidatura do então ex-secretário de governo. 

A classe acredita que, para conquistar os votos dos bombeiros, Pedro Paulo devia investir em causas mais legítimas e urgentes, como na qualidade estrutural dos postos de salvamento na orla carioca e construção dos 19 novos postos solicitados, garantindo a segurança do banhista e melhores condições de trabalho para os salva-vidas; assumir a responsabilidade do serviço SAMU, que em todos os outros municípios do Rio fica a cargo da prefeitura e que exclusivamente no Rio o Estado, ou melhor, os bombeiros é que se sacrificam para manter o serviço da SAMU funcionando.

O vereador Marcio Garcia (REDE) já apresentou inúmeras vezes um projeto de um novo posto de salvamento para ser construído em locais em que os guarda vidas ainda atuam desprotegidos e tem insistido na necessidade da prefeitura assumir sua responsabilidade com o SAMU da cidade.

"Quem deveria receber placas de homenagem são os bombeiros, por suportar os transtornos causados pela derrubada da policlínica, os guardas vidas que precisam garantir a segurança dos banhistas sem condições mínimas de trabalho, os heróis que garantem como podem o atendimento do SAMU na capital e todos os moradores da nossa cidade, que estão pagando caro por uma olimpiada que vão assistir da televisão como todas as outras."