segunda-feira, 2 de maio de 2016

Rio já tem o seu primeiro banco de células-tronco para animais


E ainda falando sobre animais... A coluna "É o Bicho", da jornalista Maria Inez Magalhães, publicada neste domingo (1/5) no jornal O Dia, anuncia a criação do primeiro banco de células-tronco mesenquimais para o tratamento veterinário no Estado. O laboratório foi criado pela Cellen, empresa residente da Incubadora de empresas da Coppe/UFRJ.


Segundo a publicação, o banco vai atender a cães, gatos e equinos. A previsão é de que neste semestre a empresa comece a comercializar as células-tronco. A novidade é uma esperança para os animais que sofrem de doenças como paralisia, displasia coxofemural, óesteo artrite, problemas nos tendões e ligamentos, dermatite atópica, cerato conjuntivite seca, doenças auto imunes como diabetes tipo I, lúpus, autoimunes e outras.


Com a expansão do mercado pet no Rio e aumento no número de animais domésticos, constatados nos últimos censos, o vereador Marcio Garcia (Rede) encaminhou ao prefeito Eduardo Paes (PMDB) um anteprojeto de Lei prevendo a construção de unidades fixas e móveis hospitalares para atendimento dos animais. A indicação legislativa de número 4262 de novembro de 2014 destaca a importância do investimento para a integridade física e bem estar dos pets, lembrando ainda da responsabilidade dos seus proprietários em zelar pela saúde dos bichinhos. "Mas nem sempre a condição financeira permite um atendimento adequado", justifica o parlamentar.
Profissionais analisam materiais para montar o banco de células-tronco veterinária (Divulgação)
Divulgação Coppe /UFRJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário