segunda-feira, 23 de maio de 2016

MP ajuíza Ação Civil Pública contra governo do Rio e consórcio Engetécnica

Uma Ação Civil Pública ajuizada em abril pelo Ministério Público do Estado do Rio chamou a atenção para supostas irregularidades que podem estar acontecendo em contratos de consórcios do PAC 1, no Complexo da Rocinha, em São Conrado, na zona Sul do Rio. A previsão de finalização das obras iniciadas em 2008 era o ano de 2011, mas até o momento não foram entregues a comunidade. 
Saneamento e pavimentação foram esquecidos

Em uma visita a Rocinha, o vereador Marcio Garcia constatou que os legados prometidos pelo poder público foram deixados em segundo plano. O saneamento e pavimentação de vias de acesso, principal reivindicação dos moradores, passaram longe das intervenções, que priorizaram a reforma da passarela e o complexo esportivo. O novo Mercado Popular, que também representa bons ares para o fortalecimento da economia local, continua com as suas obras paralisadas desde setembro de 2015.      
Plano Inclinado na Rocinha. Obras paralisadas

Mercado Popular com obras paradas
A constatação deste cenário, na avaliação de Garcia, representa um desrespeito, pois transforma os moradores em meros expectadores do processo de mudanças, enquanto toda a população sofre com os transtornos causados pelas intervenções. “A cidade é tomada por obras que provocam dificuldades de deslocamento, engarrafamentos, alteração em calendários escolares. Somos impactados de todas as formas. Quando chega algum ônus à população, vem acompanhado de atraso, superfaturamento”, critica. 


Veja a reportagem da Revista Viu!

Olimpíadas com a marca da corrupção



Nenhum comentário:

Postar um comentário