quinta-feira, 14 de abril de 2016

PMs inativos reforçam coro dos descontentes e cobram pagamento de salários em dia

Os PMs inativos engrossaram o “coro dos descontentes”, na tarde desta quinta-feira (14), e protestaram contra o adiamento do pagamento dos salários dos servidores aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 2 mil. Eles se uniram a bombeiros e representantes de outras categorias na Alerj para pressionar os deputados a derrubarem a decisão do governo. Pela medida anunciada pelo Executivo na última terça-feira, os 137 mil inativos que ganham acima deste valor só verão a cor dos salários em maio.


PMs foram até a Alerj para pressionar pela nulidade da 
medida tomada pelo governo estadual 

Vários PMs presentes à sede do Legislativo reclamaram da gravidade do momento e do prejuízo que o adiamento trará para o seu dia a dia. Representante da Associação de Inativos da PM do Rio, Marcílio de Freitas diz que há várias pessoas entre a categoria com problemas graves de saúde. Ele destacou que esses servidores terão muita dificuldade de seguir com tratamentos e para comprar medicamentos. “Nem o auxílio validez eu recebi, para você ter ideia da situação.... Mas nem estamos aqui hoje para cobrar isso. Queremos ao menos o nosso pagamento em dia”, destacou.

Outro PM que participava do ato na Alerj, Helio Ricardo de Souza, contou que está fazendo fisioterapia - por um problema na perna - desde fevereiro de 2015. Ele gasta cerca de R$ 1 mil mensalmente só com remédio e o tratamento. “O Estado não me ajudou em nada até agora. Imagine com o salário atrasado, como vai ser....”.

Para outro PM, Dejair Ferreira, que participa de um grupo de cerca de 50 PMs e bombeiros que se feriram em serviço e ficaram com sequelas, a situação é muito grave. “Temos direito, desde 2014, ao auxílio invalidez, que não foi respeitado. Disseram que iam acertar nossa situação e nada. Agora, sem pagamento, a dificuldade será ainda maior”, desabafou.

‘Covardia’
Também presente à Casa, o presidente da Associação dos Militares Estaduais (AME), coronel Fernando Bello, classificou como "covardia" a decisão de cortar os salários dos inativos e pensionistas. O coronel afirma que a medida é inconstitucional e fere os direitos dos servidores públicos.

Bello está convocando a categoria para uma assembleia que será realizada nesta sexta, a partir das 18 horas, na sede da entidade, no Centro do Rio. No encontro serão discutidos pontos para melhoria da qualidade de vida desta categoria.

Os bombeiros e PMs aposentados e pensionistas foram até a Alerj para pressionar os deputados a votarem um decreto assinado por 50 parlamentares na última quarta-feira (13). Pelo texto do decreto, a decisão do governo de não pagar os servidores inativos seria tornada nula. A pressão de várias categorias foi grande durante todo o dia, mas o texto não chegou a ser apreciado. A matéria volta à pauta apenas na próxima semana.




Nenhum comentário:

Postar um comentário