quarta-feira, 6 de abril de 2016

Em dia de protesto dos servidores, Alerj aprova empréstimo de R$ 1 bi para obras das Linha 4

No mesmo dia em que o funcionalismo público do Estado do Rio vai às ruas para reivindicar o pagamento de salários, os deputados aprovam na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) a proposta do Executivo para empréstimo de até R$ 989,2 milhões ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para finalizar as obras da Linha 4 do Metrô. O projeto recebeu 22 emendas que foram avaliadas pelos parlamentares nesta quarta-feira (6/4), que aprovaram a matéria, que terá garantia de empréstimo da União.

As condições do empréstimo, como prazo, juros, encargos e forma de pagamento deverão ser encaminhados pelo governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) no prazo máximo de 30 dias após a assinatura do financiamento. Até o momento, a dívida do governo do Rio en torno das obras da Linha 4 do Metrô já chega a R$ 12 bilhões, sendo R$ 5,4 bilhões somente em juros. 

Na sessão desta terça-feira (5/4) na Câmara Municipal do Rio, a CPI das Olimpíadas, proposta pelo vereador Jefferson Moura (Rede), foi derrubada após os vereadores Elton Babú (PT), Edson Zanata (PT), Célio Lupparelli (DEM) e Jimmy Pereira (PRTB) retirarem as suas assinaturas da proposição que tinha o apoio de 17 parlamentares - um terço exigido pela Casa para a formação do colegiado -, apresentada na quinta-feira (31/3). O presidente da Câmara, Jorge Felippe (PMDB) alegou ainda que o indeferimento do requerimento teve como motivo a ausência de elementos necessários a formação da CPI e não contemplava o objeto e o campo da investigação. O autor do projeto tem como recorrer com recurso ao Plenário. 
A CPI tinha como proposta investigar os contratos assinados entre os governos do Rio - estadual e municipal - e consórcios formados para as obras olímpicas, entre elas a Linha 4 do Metrô. 

>> Rio: Servidores decidem por greve geral em marcha contra o governo


Nenhum comentário:

Postar um comentário