quarta-feira, 2 de março de 2016

Manifestação contra governo do Rio reúne mais de 10 mil servidores públicos no Centro

Cerca de 10 mil pessoas, entre funcionalismo público e movimentos sociais, participam de uma manifestação contra as medidas do governo do Estado do Rio, na tarde desta quarta-feira (2/3), em frente a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O ato organizado pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) fez duras críticas aos cortes públicos anunciados pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), além dos atrasos salariais e o sucateamento das unidades da rede, nos mais diversos setores.
Ato dos servidores em frente a Alerj






O movimento teve a sua concentração em frente a Alerj. Os líderes de várias categorias denunciaram as péssimas condições de trabalho e a falta de pagamento. Por outro lado, destacaram os investimentos milionários que o governo vem fazendo para empreiteiras e empresas privadas. Eles discursaram em cima de um carro de som.  


As classes revindicam o pagamento integral dos salários, além das parcelas restantes do décimo terceiro e o retorno do antigo calendário salarial. Os servidores pedem ainda a rejeição da proposta de alterar a previdência do Estado, que aumentaria a contribuição do trabalhador. Aos gritos de "o servidor parou" e "deixa a revolta popular passar", os manifestantes saíram em caminhada por vias principais do Centro, por volta das 17 horas. O ato teve continuidade na Cinelândia, em frente a Câmara Municipal.  
Bombeiros reivindicam melhores condições de trabalho e aumento no número de guarda vidas nas praias cariocas

As palavras de ordem proferidas durante a passeata no Centro já anunciava a posição dos educadores - "Ah, educação parou, educação parou". Os professores e funcionários das escolas estaduais decidiram pela greve por tempo indeterminado após a assembleia da categoria, realizada na manhã desta quarta (2), na Fundição Progresso, no Centro. As revindicações são: reajuste salarial, mudança no sistema previdenciário dos servidores da rede proposta pelo governador Pezão, retorno do calendário de pagamentos, fim do parcelamento de salários, pagamento integral do décimo terceiro salário. 
Concentração dos servidores públicos na frente da Alerj

Grupos caminharam até a Alerj

Por volta das 14 horas, um grupo de estudantes e integrantes de movimentos sociais também passaram a ocupar a frente da Câmara Municipal, na Cinelândia. Centenas de pessoas com faixas e cartazes gritam palavras de ordem contra o governo e seguem um carro de som.

Um outro grupo formado por alunos e educadores caminharam da Lapa até a Cinelândia, onde se juntaram aos manifestantes. Por volta das 17 horas, todos caminharam em direção à Cinelândia, onde fica a Câmara Municipal. 


Manifestação dos servidores no Centro do Rio. Fotos: Cláudia Freitas / Ascom Marcio Garcia







Vereador Marcio Garcia na manifestação dos servidores públicos

Vereador Marcio Garcia na manifestação no Centro do Rio





Nenhum comentário:

Postar um comentário