quarta-feira, 16 de março de 2016

Com salários atrasados, servidores do Rio voltam às ruas em novos protestos

A proposta do governo do Rio que prevê nova alteração no calendário de depósito dos salários dos servidores para o décimo dia de cada mês, que será votada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), vem causando uma onda de paralisações em serviços para a população. Cerca de 30 categorias devem anunciar estado de greve até sexta-feira (18/3), em função também dos atrasos nos pagamentos da rede. Na manhã desta quarta (16), os funcionários do Detran anunciaram operação padrão na sede da entidade, na Avenida Presidente Vargas, e saíram em manifestação pelas ruas da cidade.

O vereador Marcio Garcia impetrou uma Ação Civil Pública (ACP) contra o governo estadual, na Fazenda Pública, exigindo ressarcimento ao funcionalismo pelos meses em atraso e arguindo a violação da moralidade administrativa no ato do governador alterar a data de pagamento. "Não há justificativa para o Estado conceder renúncias fiscais para empresas que alcançaram 132 bilhões de reais , segundo o TCE, enquanto alega não ter caixa para pagar os servidores em dia", destaca o vereador em um dos trechos do documento. "Vamos pedir que a Justiça determine o pagamento até o segundo dia útil, como vinha ocorrendo", acrescenta.            


Servidores das áreas da saúde e educação divulgaram uma caminhada em protesto às medidas do governo e que deve acontecer nesta quarta (16). O ato unificado, que deve ter a adesão de outras categorias, tem início com uma caminhada do Largo do Machado até o Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na zona sul da cidade. Nesta quinta (17), um novo protesto está programado para acontecer na escadaria da Alerj, na parte da tarde. No momento, as classes optaram por paralisações de 48 horas, como o caso dos policiais civis. No entanto, os servidores pretendem em abril decretar greve por tempo indeterminado.
Ato dos servidores no Centro do Rio. Foto: Gabinete vereador Marcio Garcia

A agenda de revindicações dos servidores aumenta a cada dia, com as dificuldades provocados pelos atrasos salariais e sucateamento dos setores da rede. Entre os pontos de discussão estão os reajustes de salário, o parcelamento do décimo terceiro, as melhorias nas condições de trabalho a as mudanças ocorridas no calendário de pagamento. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário