quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Eleições 2018

Mal terminou uma campanha e as tensões relacionadas a próxima já batem na nossa porta.

Eu ia esperar o fim do mandato para anunciar o meu planejamento para 2018, mas as declarações públicas de apoio a uma possível candidatura em 2018, principalmente para deputado estadual, me forçaram a antecipar essa declaração.


Nós próximos anos pretendo concluir minha terceira graduação (Engenharia Civil) e o doutorado (possivelmente no IME em Engenharia dos materiais). Talvez volte a lecionar, construir ou qualquer outra coisa que aparecer. Não sei. O que posso garantir é que não tenho NENHUMA pretensão de me candidatar em 2018.

Mas não precisa se desesperar! Também posso garantir que não vão faltar ótimas opções de voto em 2018.

Mas agradeço o carinho e a defesa da minha candidatura à deputado estadual, mas o que preciso mesmo no momento é de ajuda para encontrar um trabalho para 2017. Se souber de alguém que esteja precisando de um trabalhador fiel e comprometido, por favor, encaminhe meu currículo (http://lattes.cnpq.br/7714624973681636).

Grande abraço a todos



sábado, 1 de outubro de 2016

Vamos à luta!

A votação é amanha mas hoje já tenho muito o que comemorar. A adesão espontânea e comprometida com o interesse coletivo à campanha é prova de que o povo amadureceu muito politicamente e está preparado para mudar o rumo do nosso país, e essa mudança inicia agora na eleição municipal.

As velhas estratégias de manipulação das pessoas não funcionam mais ou ficaram mais “caras”, ou seja, o voto que era conquistado pelas campanhas milionárias está escasso. As pessoas estão cansadas de serem enganadas pelos políticos e clamam por uma mudança.

Neste cenário político caótico ganha um espaço cada vez maior o voto por indicação e esse será o voto que definitivamente mostrará nossa força, por isso, conclamo todos os nossos eleitores a arregaçar as mangas e ir para a rua.

Hoje, neste momento, seus vizinhos estão esperando você apresentar o seu candidato. Não perca tempo. Vá agora e não permita que seus amigos e vizinhos desperdicem seus votos. Peça o voto e dê a ele um vereador para acompanhar e se orgulhar.

Vamos à luta! Ainda temos o último dia de campanha e muitos eleitores para conquistar.

#marcio_garcia_18193

whatsapp – (21) 98198-6559




quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O modo como você reúne, administra e usa a informação determina se vencerá ou perderá

Sei que já deveria ter me acostumado com as baixarias políticas, afinal já se passaram 4 anos de mandato como vereador e quase 10 de militância em defesa dos direitos dos servidores públicos, mas ainda tenho muita dificuldade para digerir as absurdas baixarias, só vistas no “mundo político”.

A da semana é muito simbólica. Primeiro uma nota no boletim interno deu orientações aos Comandantes de unidades sobre as providencias em caso de algum candidato realizar ato de campanha na calçada defronte ao quartel, estacionamentos e portões de acesso.

Veja abaixo:



Em algum momento o texto da nota determinou que os comandantes proibissem o ato de campanha? Leia novamente! Mostre para seu Comandante! Obrigue-o a ler lentamente!

Viu? A orientação é para fazer imagens e encaminhar para a corregedoria, o que acredito ser desnecessário já que eu mesmo faço a foto e posto nas redes sociais, mas, fique a vontade para fazer uma foto minha conversando com os bombeiros e cidadãos.

Estou certo de que é lícita a atividade de campanha no entorno dos quartéis, mas para dirimir qualquer dúvida, fiz uma consulta ao TRE e o mesmo confirmou que a atividade de campanha no entorno do quartel é lícita e que, diferente do entendimento do Douto Corregedor, a calçada e o estacionamento não são áreas sob a jurisdição militar. Veja abaixo a informação prestada pelo TRE:

Contudo, durante toda a campanha fui coagido a abrir mão do meu direito de fazer campanha pela maioria dos comandantes das unidades por onde passei, e para evitar constrangimentos, procurei atender seus apelos, mas minha paciência está se esgotando.

Mais uma vez a administração está usando um expediente covarde para USAR os comandantes de unidade para me constranger. Os Comandantes estão recebendo ordens informais para proibir a panfletagem na calçada, que eu converse com os bombeiros, e que entre nas unidades, mesmo que seja para beber água ou usar o banheiro. É claro que uma ordem dessas não será publicada no boletim ou distribuída por um ofício, ela precisa circular informalmente para não gerar registro e caracterizar o crime previsto nos arts. 331 e 332 do código eleitoral “Constitui crime, punível com detenção de até 6 (seis) meses e pagamento de 30 (trinta) a 60 (sessenta) dias-multa, impedir o exercício de propaganda.

Nesse momento, o corajoso Comandante de unidade que leu o texto até aqui já deve ter lembrado de um momento no passado recente em que outra ordem vinda do além proibia meu acesso às unidades, inclusive formaturas públicas no CFAP. E lembrou também que precisei desafiar essa ordem absurda, sofrendo algumas lesões corporais numa formatura no CFAP, que, infelizmente, resultou na denuncia de dois bombeiros que estavam apenas cumprindo uma ordem e que até hoje não podem apontar o mandante desta. Veja o vídeo com a agressão neste link (https://www.youtube.com/watch?v=Sj7Ww1Vlp9M).

Novamente, estou fazendo um esforço hercúleo para não prejudicar nenhum comandante de unidade ou oficial de dia, mas tenham certeza de que estou disposto a seguir em frente até as últimas consequências, então, antes de vir falar que não posso ficar na calçada do quartel, solicite que a determinação/ordem seja dada por escrito, esta exigência está prevista no art. 7º §3º do RDCBMERJ, e assim que receber traga ela para mim, para que eu vá diretamente ao TRE.

Estejam todos cientes que se vier falar comigo que não posso fazer campanha em via pública estará correndoo risco de ser filmado e fotografado, e que as imagens vão ser usadas para comprovar o assédio e constrangimento a que estou sendo submetido.

A campanha não pode parar!

Faltam 11 dias!


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Fim da Paralimpíada, início do choque de realidade na Cidade Maravilhosa

O Jornal O Dia publicou neste domingo (18/9) uma reportagem que traduz muito bem o clima de inquietação e incertezas que o Rio de Janeiro está mergulhado neste momento. O fim dos jogos mundiais no Estado pode ser o marco de tempos ainda mais difíceis para os cariocas, que já vêm sofrendo com os reflexos da crise.  
Reprodução Jornal O Dia
As medidas de recessão adotadas pelo governo, que englobam os atrasos salariais, a queda vertiginosa na qualidade dos serviços básicos, apagam por completo qualquer luz no fim do túnel. E como sempre acontece, a corda está arrebentando do lado mais fraco: a população. Um exemplo bem evidente são os restaurantes populares, que já estão fechando as suas portas, um a um. 
Os próximos a amargar o gosto da derrota deste governo serão os servidores da rede estadual, que novamente não devem ver tão cedo os seus salários em dia. Estamos nos referindo aos ativos, inativos, pensionistas e aposentados. 
E o pior de tudo. Especialistas apontam que, mesmo após a decretação do estado de calamidade, o poder executivo continuou agindo de forma irresponsável e sem qualquer cuidado com as verbas públicas. O governo do Rio encerra o ciclo de eventos mundiais vitorioso em medalhas por incompetência e corrupção. Pena que este podium não dá para o carioca aplaudir. 

domingo, 18 de setembro de 2016

Fim da Paralimpíada: novas mudanças no trânsito a partir desta segunda

Com o final dos jogos paralímpicos no Rio, na noite deste domingo (18/9), as faixas em vias expressas reservadas para as comitivas do evento serão liberadas aos motoristas, exatamente às 23 h 59 min. A partir desta segunda (19), os BRS do Centro e da Zona Sul da cidade voltam a funcionar no horário normal. O entorno do Parque Olímpico e da Vila dos Atletas também terão os bloqueios retirados. 
Reprodução TV

Já na manhã desta segunda (19), a faixa reversível da Linha Amarela, sentido Fundão, vai estar liberada para todos os veículos, em todos os horários. O mesmo acontece na Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC), na praia da Reserva, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. No Aterro do Flamengo, na Zona Sul, a APCC só será reaberta na terça (20).

Os motoristas que costumam estacionar no Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul, terão que aguardar um pouco mais para utilizar o local. A área será reaberta ao público somente no dia 30 de setembro.

Caos no Rio de Janeiro: a herança desastrosa de Cabral e seus fiéis sucessores

Um estado falido em todos os seus setores da economia. Não precisar ser especialista para chegar a esta conclusão quando o tema é Rio de Janeiro. Nas ruas, nos locais de atendimento público, nos bancos, nos hospitais, nas entidades de ensino, o carioca lamenta a situação de calamidade que está interferindo na sua rotina e gerando doenças físicas e sociais. Uma sociedade mergulhada no caos. 
Reprodução YouTube

Ao contrário das justificativas que o governo estadual vem apresentando, a crise não está ancorada na redução dos repasses dos royalties do petróleo, mas foi ocasionada pela má gestão pública e irresponsabilidade do governo do PMDB, aplicou a verba pública em projetos audaciosos e obras que foram prioritárias apenas para os cofres das empresas privadas. 



A farra fiscal chegou ao patamar absurdo de R$ 140 bilhões em isenções para determinadas empresas, enquanto o servidor convive com atrasos salariais e sucateamento dos serviços públicos. 

Unidos e perseverantes vamos vencer mais esta batalha!

Estamos entrando na reta final da campanha. É hora de muita união para vencermos mais esta batalha. Juntos, fizemos da nossa gestão um exemplo de honestidade, perseverança e conquistas reais para a população. E com a mesma determinação, vamos em frente, tirando do caminho as pedras colocadas por aqueles que não querem ver Rio de Janeiro se desenvolvendo e o seu povo cada dia mais seguro e feliz. Juntos, somos muito mais fortes!  


sábado, 17 de setembro de 2016

"Final de carreira", diz usuário de restaurante popular. Três unidades fecharam as portas e outras três podem parar esta semana

O fechamento dos restaurantes populares no Rio de Janeiro - mais uma consequência da crise instalada no Estado - afeta não apenas os usuários destes espaços, mas também centenas de funcionários que foram dispensados nas últimas semanas. Três unidades fecharam as portas na semana passada e nos próximos dias, outros três restaurantes, incluindo o da Central do Brasil, podem encerrar as suas atividades para o público.
Reprodução Band


" errado isto, a gente não pode pagar pela roubalheira dos políticos não", disse uma frequentadora da unidade da Central para a reportagem do SBT, nesta sexta-feira (16/9). Os clientes de baixa renda que encontraram nos restaurantes populares a solução para se alimentarem no café da manhã e almoço, lamentam o descaso do governo. A rede cobra pelo café da manhã apenas R$ 0,50, já o almoço é vendido a R$ 2.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Dedicação, competência e coragem: ingredientes que diferem o mandato de Marcio Garcia

Reprodução vídeo
Nos últimos quatro anos, o mandato do vereador Marcio Garcia priorizou as demandas vindas dos movimentos sociais, em benefícios dos trabalhadores, se dedicou à construção e aprovação de projetos de Leis em defesa das minorias. Enfim, foi um trabalho árduo para identificar e promover as ações em prol do desenvolvimento da nossa cidade e das relações justas de trabalho e sociais. Mas o resultado satisfatório em favor da nossa população vale qualquer esforço. Vamos em frente com o apoio do eleitor carioca, ainda temos muitas conquistas nos esperando para fazer da nossa cidade um lugar muito melhor!


  

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Olho no VLT: legado gera dívida para prefeitura; Alstom ameaça suspender contrato por falta de pagamento

No início tudo são flores e selfies. A população carioca, no período de quase dois meses, desfrutou das viagens gratuitas em um dos legados olímpicos mais famosos, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). No dia 26 de julho, teve início a cobrança de tarifa a partir do pagamento espontâneo em equipamentos instalados nas composições. Sensores nos veículos apontam a lotação. O calote de usuários do sistema já está saindo dos cofres públicos para reparar os prejuízos da concessionária VLT Carioca, composta pelos grupos Invepar, CCR, Odebrecht Transport, Riopar, a francesa RATP e a argentina BRT (Benito Roggio Transporte).
        
A Secretaria Municipal de Transportes já confirmou os repasses para o consórcio, no entanto, não revela os valores destinados a este fim. Segundo reportagem do jornal O Dia, se o número de pessoas transportadas for entre 10% e 20% maior que o de passageiros validados, metade do prejuízo deverá ser ressarcido à concessionária com recursos do Tesouro Municipal.

O contrato de 23 anos com a concessionária prevê também que, depois que o VLT estiver integralmente em operação, a prefeitura terá que indenizar o grupo nos meses que o sistema não atingir as curvas de demanda mínima estipuladas.    




Segundo reportagem publicada pelo portal R7, também esta semana, uma alteração no contrato entre a prefeitura e a concessionária impediu que o Ministério das Cidades fizesse o repasse para o grupo pagar a fabricante dos trens. A Alstom teria enviado uma notificação de suspensão do contrato.



Reprodução / Agência O Dia

Linha 4 do metrô: fim de linha para as obras, mas sobra material em canteiro de consórcio


Quem passa pela Rua Ceará, na Praça da Bandeira, região Central do Rio de Janeiro, pode observar uma grande quantidade de material estocado em um canteiro do consórcio CL4S, responsável pelas obras da Linha 4 do metrô. Um número enorme de dormentes se encontra no local, apesar das intervenções na Linha 4 já terem finalizado até a Barra.  
 
Reprodução


Segundo o consórcio, este material será utilizado para a finalização da escavação dos túneis até a Gávea, na Zona Sul da cidade e também  para a conclusão da estação daquele bairro. Não custa nada a gente ficar de olho bem aberto!!

Polícia Fazendária: com indiciamentos o PMDB tenta intimidar o nosso mandato

Como já havíamos previsto, o inquérito "SIGILOSO" instaurado há alguns meses pela “delegacia política” do PMDB foi concluído. A delegada aproveitou que estamos a poucos dias das Eleições para reunir os jornalistas da GLOBO e divulgar os absurdos indiciamentos propostos, com a evidente intenção de descredibilizar um dos poucos mandatos independentes e comprometidos, exclusivamente, com os interesses dos eleitores.

Foram indiciadas as esposas dos bombeiros excluídos no movimento de 2011, nomeadas para trabalhar no meu gabinete (e trabalhavam, prova disso é o crescimento político do mandato que será materializado nesta eleição), acusadas de terem dado dinheiro aos seus maridos. Segundo a delegada, é crime (peculato) a esposa dar dinheiro ao marido. Crime seria proibir que ela ajudasse seu marido, que acabara de perder o cargo e o salário por estar lutando por dignidade e contra o governo mais corrupto da história do Rio de Janeiro. Corrupção esta que agora começa a ganhar a atenção do poder judiciário, mas deixa a cada dia as marcas da má gestão, com um Estado que não consegue nem pagar o salário dos seus servidores e presta um péssimo serviço à população. Porém, nada disso merece a atenção da delegada.

Outro fato que deu causa ao indiciamento de algumas pessoas neste processo que me envolveram foi o abastecimento de veículos particulares com o cartão de combustível. Segundo a delegada, "o Cartão de combustível da Câmara Municipal é para ser usado nos carros oficiais", mas ela esquece de mencionar que os vereadores não têm carros oficiais e que utilizam carros particulares para trabalhar. Uma conclusão lógica: o cartão de combustível existe exatamente para abastecer o carro particular que o parlamentar estiver usando. Como eu moro na Zona Norte, mais exatamente em Pilares, uso frequentemente o metrô, não utilizo totalmente a cota de combustível mensal, o que levou ao acúmulo de quase R$ 15 mil de saldo no cartão, mas é claro que nada disso interessa para a delegada.

Estou ansioso pelo momento em que vou poder me defender e ser julgado. Até o momento não fui sequer ouvido e tomo conhecimento das informações pela capa do Jornal EXTRA ou RJTV. Com o encaminhamento do inquérito ao procurador-geral de Justiça, vou poder extrair cópia do deste documento e, assim, poder dar mais detalhes sobre a investigação.

Ainda não sou réu, não fui denunciado e nem indiciado, mas já fui considerado culpado pelo GLOBO. E você, vai me condenar também? Ou vai procurar saber se o que estou falando é verdade? Vai entrar no meu site e vai avaliar a evolução do meu patrimônio, vai me consultar (21 98198-6559) ou alguém que me conhece pessoalmente? 

Enquanto você se decide, posso garantir que vou continuar fazendo oposição aos governos municipal, estadual e federal, todos do PMDB, vou continuar apoiando a CPI das Olimpíadas, vou continuar denunciando as covardias do governo contra os servidores públicos. Seguirei denunciando a péssima prestação de serviços públicos, não vou parar de denunciar os esquemas de corrupção, ou seja, não vou parar de trabalhar. Se a intenção com este processo era me desmotivar, teve o efeito inverso, agora temos certeza de que estamos no caminho certo, estamos incomodando.


Esse é nosso esquema! Não abandonamos ninguém, não desistimos e não nos vendemos.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Governo deixa de pagar e pensionistas fazem protesto em frente ao MP

A segunda-feira (12/9) foi marcada por mais um capítulo na novela de desrespeito do Estado do Rio contra o seu funcionalismo. O juiz Leonardo Grandmasson Chaves, da 8ª Vara de Fazenda Pública da Capital, informou o arresto de R$ 19.468.952 da conta do governo estadual, para a quitação da folha de pagamento de agosto dos servidores da rede. O magistrado bateu o martelo na quinta (8), mas as primeiras movimentações bancárias aconteceram nesta segunda (12). Nesta terça (13), um grupo de pensionistas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros vai promover, às 11 horas, um ato em frente ao Ministério Público do Estado, no Centro, contra as medidas do executivo e os constantes atrasos salariais.



"Vamos tentar ser recebidas por um procurador, porque queremos pedir ao Ministério Público uma intervenção a nosso favor. Precisamos da certeza do amanhã, de que o nosso pagamento vai estar na conta na data que a Justiça determinar. Este governo não está respeitando o idoso e nem as decisões judiciais. Será que não existe uma lei que nos ampare? Não é possível o que estamos vivendo", desabafou a pensionista Jane da Silva Bueno, de 60 anos.

Jane faz parte de um grupo criado através das redes sociais, por inativos e pensionistas do setor de Segurança, visando o amparo mútuo no período de crise. "Ele [se referindo ao grupo virtual] vem das dificuldades encontradas pelas viúvas [dos setor de segurança] com a ausência de pagamento de salário. Trocamos as experiências de sofrimentos e uma ajuda a outra conseguindo medicação, cestas básicas... E até dando instruções para resolver problemas burocráticos usando o recurso da gratuidade, que é oferecido, em alguns casos, pela Defensoria Pública", conta a viúva. 

Segundo a pensionista, em março o governo enviou para as residências um telegrama convocando a classe para fazer o recadastramento e não informou sobre os abonos possíveis através da Defensoria. "Teve viúva que estava sem receber e gastou quase R$ 400 para retirar todas as certidões e documentos exigidos pelo governo em cartórios", disse Jane.

Reprodução


Os fatos relatados por Jane quanto a situação das viúvas da Polícia Militar e dos Bombeiros são desanimadores. "Tem gente passando fome, sem dinheiro para comprar remédio ou cuidar da saúde, está algo desesperador", afirma. Ela explica que desde dezembro há uma defasagem de um mês no calendário de pagamento dos pensionistas e inativos. O benefício de novembro, que deveria ser pago em dezembro, só foi efetuado pelo governo em janeiro e desde então a escala continua irregular. "O caos é total. O idoso não tem prioridade neste governo, que ainda faz vista grossa para reconhecer o quanto o servidor da Segurança Pública se dedicada e corre risco no exercício do trabalho", critica. 

Jane conta que seu marido serviu a PM por 31 anos e foi assassinado em decorrência de fato relacionado à profissão. Atualmente, a idosa vende roupas para complementar a renda familiar e, assim, consegue ajudar a filha pagar os estudos do seu neto, que ingressou há pouco tempo em uma faculdade. 

Cedae e a privatização: Rio deve ter conta de água mais cara com PPI

A semana começa no Rio de Janeiro em clima de expectativa gerado pela primeira rodada de negociação, nesta terça-feira (13/9), que pode mudar o modelo de concessão do serviço prestado pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio (Cedae) e, consequentemente, levar à um aumento no preço da conta de água. No encontro em Brasília, técnicos do BNDES vão propor à iniciativa privada o modelo de Parcerias de Investimento (PPI), além de sugerir nova tabela de valores para a água da Cedae, tendo como parâmetro cada região do estado.

>> Tarifa de água deve subir após concessão da Cedae


Tratamento de esgoto: estações precisam de interligações e redes na Baixada Fluminense
Reprodução Jornal Extra


As informações foram adiantadas pelo jornal Extra, neste domingo (11/9), que ouviu fontes participantes da negociação. Segundo a reportagem, os calculos preliminares apontam para o metro cúbico da água na capital em valores de custo bem maiores que os praticados atualmente. Quem vai pagar pela mudança será o consumidor final, ou seja, a população. 


O vereador Marcio Garcia considera a proposta de privatização um grande equívoco do governo em exercício de Francisco Dornelles (PP). O parlamentar faz a sua análise tanto pelo ponto de vista da economia regional quanto pela violação dos direitos dos servidores e da sociedade. 


"A agenda deste governo está priorizando as privatizações, enquanto a sua obrigação seria proteger os bens públicos. O certo é buscar caminhos para resolver a crise sem colocar na mesa de negociação o patrimônio do Rio. A dívida fluminense deveria ser renegociada e não usada como saída para favorecer grupos privados. A água é recurso natural dotado de valor econômico e direito humano fundamental. Em nada esta medida [da PPI] vai oxigenar os cofres públicos do estado, que foram saqueados pela corrupção e má administração deste governo", afirma o vereador.

Para Garcia, as negociações com os grupos privados criam um clima de insegurança no funcionalismo, que já  vem sofrendo com os recorrentes atrasos salariais. Além disso, a possibilidade de aumento na conta de água deve atingir em cheio outra classe social: a de baixa renda nas comunidades. 

"A ganância e sede de privatização enriquecem ainda mais determinados setores e afunda a população que mais precisa de apoio governamental", acrescenta o parlamentar, lembrando que a atual presidente do BNDES, Maria Sílvia Bastos Marques, foi uma das maiores incentivadoras das privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Crime contra o meio ambiente: trecho na Linha Vermelha sofre com desmatamento para construção de barracos

Alerta às autoridades do Meio Ambiente. Um vídeo enviado nesta quinta-feira (8/9) às redes sociais do vereador Marcio Garcia mostra a devastação ambiental de uma área que fica às margens na Linha Vermelha, na altura da Pavuna. O motorista registrou uma recente ocupação em trecho de mata, que foi desmatado para construção de novos barracos no lugar. 


Reprodução

Dia Nacional do Médico Veterinário: parabéns aos heróis dos nossos animais

O Dia Nacional do Médico Veterinário é lembrando neste 9 de setembro pelo sindicato da categoria no Rio, que usou o seu sítio na internet para dar destaque à importância da profissão. "Imagine café da manhã sem leite, domingo sem churrasco, infância sem iogurte, goiabada sem queijo, Sexta-feira da Paixão sem peixe, sanduíche sem hamburguer, chupeta sem mel. Agora imagine que todos estes produtos estão na sua mesa (...) mas você não tem coragem de consumi-los, não sabe a procedência, duvida da forma que foram feitos e nem sabe se por detrás dos alimentos houve algum Controle de Qualidade. Pois ainda bem que existe o médico veterinário", destaca a postagem na página da entidade.
Reprodução / Sindicato dos Médicos Veterinários do Rio de Janeiro

Em seu mandato, o vereador Marcio Garcia (REDE) vem trabalhando para melhorar a qualidade de serviço neste ramo. Dentre as suas propostas apresentadas na Câmara, está a criação de um hospital público veterinário, para que os proprietários passam cuidar de forma adequada e ter atendimento especializado para os seus animais. O parlamentar encaminhou ao prefeito Eduardo Paes um antiprojeto de Lei prevendo a construção de unidades fixas e móveis. 

A indicação legislativa ressalta a relevância deste investimento, tendo em vista a integridade física e bem estar dos pets, além da tranquilidade que oferece aos donos, que têm por dever manter a saúde dos seus animais de estimação. Para o vereador, o dia comemorativo também é um momento propício a refletir e avaliar as melhorias neste setor essencial para a sociedade. E parabeniza cada médico veterinário pela dedicação e amor à sua profissão. 

Tempo: fim de semana sem previsão de chuva no Rio

Fim de semana batendo à porta, então, vamos a previsão do tempo. Nesta sexta (9/9), o tempo vai continuar instável na Cidade Maravilhosa. Isso em função do transporte de umidade do oceano para o continente e à atuação de áreas de instabilidade sobre o município, associadas aos ventos em altitude. 

O céu vai continuar nublado a encoberto, com chuva fraca em áreas isoladas a qualquer momento. Está prevista também pancadas de chuva, principalmente na Zona Norte do Rio, no período da tarde e a noite. A intensidade dos ventos vai de fraca a moderada, com temperaturas estáveis. A máxima prevista é de 25°C e a mínima de 17°C.

Para o sábado (10) e o domingo (11) não há previsão de chuva. Bom fim de semana a todos! 

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

SBT apresenta reportagem sobre crise nas unidades médicas dos Bombeiros: governo não repassa verba e serviços são suspensos

O estado crítico em que se encontram as unidades médicas de atendimento aos servidores do Corpo de Bombeiros foi tema de uma reportagem desta quinta-feira (8/9), no SBT Rio. A matéria denuncia que, por falta de pagamento às terceirizadas, alguns serviços já estão sendo suspensos nas policlínicas e no hospital da corporação. Em nota à emissora, o governo do Estado confirma que, em função da crise, não houve repasse à instituição da verba referente ao Fundo de Saúde. 
Reprodução / SBT 
    
No início de agosto, o vereador Marcio Garcia (REDE) fez o alerta da situação calamitosa do hospital e das policlínicas dos Bombeiros, que já estavam naquela época sem condições de atendimento. "O governo do Estado está usando o dinheiro do Fundo Saúde e da Taxa de Incêndio para pagamentos de salários e, desta forma, as unidades de saúde estão sem receber os seus devidos repasses", afirmou o parlamentar. Os resultados desta manobra do governo já estão sendo divulgados pela imprensa e, infelizmente, os servidores e seus familiares são as maiores vítimas.



Rio tem dois casos graves de violência contra guardas municipais em menos de uma semana


Dois dias após o vereador Marcio Garcia ocupar a tribuna da Câmara para repudiar a rotina de agressões contra agentes da Guarda Municipal e criticar a omissão do poder público, que fecha os olhos a realidade da categoria, outro episódio de violência foi registrado na Região Metropolitana do Rio, nesta quarta-feira (7/9). O fato aconteceu depois do desfile escolar da Independência em São Gonçalo. Um agente saiu baleado e um outro foi atropelado por um grupo de motociclistas que faziam alvoroço na Estrada do Cordeiro, durante a desmontagem do palco que serviu para o evento cívico.
 
A Guarda Municipal esclareceu em nota que os agentes foram feridos no momento que abordaram o grupo. O guarda identificado como Mauro foi atingido por um tiro de raspão no braço, já o agente conhecido como Noronha foi atropelado pelos motociclistas. Eles foram socorridos para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, e liberados no final da noite.
Divulgação/ GM Rio
 
Em seu discurso na sessão ordinária da Câmara do Rio, na terça-feira (6/9), Garcia revelou que tem recebido no seu gabinete diversas denúncias envolvendo agressões contra agentes da Guarda Municipal. O parlamentar lamentou as cenas de pancadaria registradas em um vídeo, que mostram usuários do Parque de Madureira, na Zona Norte da cidade, arremessando objetos e dando um soco no rosto de uma guarda, dentro da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Rocha Miranda, no dia 4 de setembro. As agressões começaram no local de entretenimento, quando um guarda municipal abordou um grupo de homens da mesma família que não queria devolver as cadeiras a uma comerciante que trabalha no Parque. Após prestarem depoimento na delegacia, os suspeitos foram levados para a UPA, onde passariam por exame de corpo de delito. Na unidade médica, o grupo iniciou um novo tumulto e três agentes saíram feridos, entre eles uma mulher atingida por um soco no rosto.
     
O parlamentar atribui à omissão da prefeitura o aumento de casos de ataques físico e moral contra os servidores da corporação. "Desta vez [se referindo ao caso no Parque de Madureira] não houve registro de feridos graves, mas num próximo episódio de violência não sabemos se teremos vítimas fatais, provavelmente um guarda municipal, porque eles continuam trabalhando submetidos às condições inadequadas e sem qualquer segurança. O poder público está omisso em deixar o seu servidor expostos a tantos riscos, diariamente", salientou Garcia. 








Restituição do Imposto de Renda: Receita abre consulta do quarto lote

O contribuinte já pode consultar o quarto lote de restituição do Imposto de Renda referente ao exercício de 2015. A Receita Federal abriu acesso nesta quinta-feira (8/9), através do site (idg.receita.fazenda.gov.br) ou pelo Receitafone 146.
Reprodução / Site Receita 

Mais de dois mil contribuintes serão contemplados nesta nova etapa. A Receita esclarece que o lote multiexercício inclui restituições referentes ao período entre 2008 e 2015. O crédito bancário entrará nas contas dos beneficiados no dia 15 de setembro. Com esta operação, a Receita deve contabilizar cerca de R$ 2,7 bilhões.

Secretaria de Segurança empurra para as polícias manutenção das viaturas. Contrato com terceirizada encerra nesta sexta

Uma publicação na última terça-feira (6/9) no boletim interno da Polícia Militar revela mais um golpe pesado contra o setor de Segurança Pública no Rio. Encerra nesta sexta (9) o contrato entre o governo do Estado e a empresa CS Brasil que trata da manutenção das viaturas das polícias Militar e Civil. Segundo a PM, já há um novo processo licitatório em andamento e o orçamento das unidades deve absorver os custos de manutenção de viaturas. No entanto, várias denúncias de servidores da corporação dão conta de que as unidades militares estão encontrando grandes dificuldades em manter as refeições dos PMs e a conversação dos quartéis.
Reprodução Internet


A publicação no boletim interno, assinada pela chefia do Estado-Maior, estabelece diligência para recolher, até a próxima segunda (12), todas as viaturas que estão nas garagens da CS Brasil. Com a medida, a manutenção de cerca de 8 mil automóveis da PM podem voltar para responsabilidade dos quartéis.


- As consequências disso [retorno das oficinas nos quartéis] podem ser catastróficas para as finanças da PM neste momento. Não houve uma transição e um preparo para receber as mudanças. Os quartéis já estão encontrando dificuldades em manter o rancho [refeições dos policiais], as suas condições adequadas de funcionamento e manutenção e até para abastecer os veículos, ainda vão precisar de verbas para as oficinais. De onde os comandos das unidades vão retirar estas verbas? Sem contar na questão do recurso humano. Homens terão que ser deslocados dos trabalhos externos para a oficina. Estamos recebendo um evento esportivo mundial e, em seguida, temos as Eleições. É uma irresponsabilidade enorme do governo jogar, neste momento, tamanha responsabilidade para estes órgãos de segurança. Não está pensando nos policiais e nem na população, que vai sentir os efeitos no policiamento nas ruas, avalia o vereador Marcio Garcia.    

Reprodução



MP pede bloqueio de bens de Beltrame. Suspeitas de fraudes envolvem contratos da CS Brasil


Em 2009, o coronel da PM Paulo Ricardo Paúl entregou para o Ministério Público do Estado um dossiê apontando indícios de fraudes em contratos firmados entre a Secretaria de Estado de Segurança do Rio (Seseg) e o grupo Júlio Simões, da qual a CS Brasil faz parte. As irregularidades teriam sido cometidas no período de 2008 e 2009, envolvendo, entre outras licitações, as de manutenção e compra de viaturas da PM. O documento deu base à Ação Civil Pública (ACP) ingressada pela 7ª Promotoria da Tutela Coletiva e pelo Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE), contra o secretário da pasta, José Mariano Beltrame, no ano de 2014. O MP pediu o bloqueio dos bens do secretário e a suspensão dos direitos políticos por oito anos.  

De acordo com o MP, "foram apresentadas notas fiscais genéricas e relatórios sintéticos e pagamento por serviços não prestados" por parte das contratadas. O conteúdo da ACP destaca também que “os valores gastos a título de gestão de frota e manutenção dos veículos se aproximam do dobro do valor gasto com a aquisição dos veículos”.

A CS Brasil Transportes de Passageiros, Serviços Ambientais e Engenharia foi criada pelo grupo Júlio Simões em julho de 2009, com sede em Mogi das Cruzes (SP). No mesmo ano, o grupo teve 12 executivos detidos na Bahia, no âmbito da Operação Nêmesis, da Polícia Federal, que investigou fraudes em contratos de gestão, compra e manutenção de viaturas da PM naquele estado. Na ação policial também foram presos lobistas e servidores do alto escalão da PM.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Que cidade é esta? Criminosos fecham túnel e leva pânico a motoristas

Em plena recepção da Paralimpíada no Rio de Janeiro, cenas de violência levam pânico à população. Foi o que aconteceu na noite de quinta-feira (1/9), no Túnel Marcello Alencar, na Zona Portuária. Um grupo de criminosos fortemente armados pararam um carro na via e tentaram assaltar os motoristas que passavam pelo local. A ação foi registrada pelas câmeras do Centro de Controle, que acionou a Polícia Militar. Nas imagens os homens aparecem armados correndo pelo túnel e um deles tenta atravessar o veículos que estavam ocupando na pista. 
As informações de duas delegacias, a 17ª DP (São Cristóvão) e a 19ª DP (Tijuca), foram feitos registros de roubo. As imagens das câmeras estão sendo analisadas pela polícia. 

Reprodução Internet

Governo do Estado ignora decisão da Justiça e deixa servidor sem salário, novamente

O desrespeito ao servidor público e às decisões do Superior Tribunal Federal continuam sendo uma prática comum ao governo do Estado do Rio. Mais uma vez parte dos servidores da rede ficou sem receber o salário, desta vez referente a agosto. Nesta terça-feira (6/9), o Tribunal de Justiça do Rio determinou que a Secretaria Estadual de Planejamento do Estado (Seplag) informe o contingente de servidores ativos, inativos e pensionistas que não tiveram os seus benefícios depositados na segunda-feira (5/9), data limite determinada pela Justiça para o poder Executivo efetue integralmente o pagamento do funcionalismo. 

A decisão do TJ-RJ havia fixado a data de pagamento até o terceiro dia útil de cada mês. No entanto, em nota oficial o governo do Rio informou nesta terça (6) que somente 70% da folha recebeu os benefícios. O governo está prometendo fazer todos os pagamentos até o final desta semana, mas quem ignora a decisão judicial uma vez...


>> RJ deve apresentar cronograma para pagar servidores, determina Justiça

Reprodução Internet




Vereador Marcio Garcia repudia agressões contra guardas municipais

O vereador Márcio Garcia (REDE) manifestou repúdio às cenas de violência registradas em um vídeo gravado por usuários da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, contra agentes da Guarda Municipal.O parlamentar comentou o fato ocorrido no último domingo (4/9), no Parque de Madureira e, no mesmo dia, o confronto se repetiu na recepção da UPA, protagonizado por um grupo de frequentadores da área de lazer, que atacou à pauladas, socos e pontapés os agentes municipais, entre eles uma mulher. No Plenário da Câmara, Garcia criticou a postura da Prefeitura em não oferecer aos servidores da GM melhores condições de trabalho e considerou desrespeitosa e absurdas as agressões cometidas contra uma mulher, que estava cumprindo o seu papel profissional de manter a ordem pública.

O jornal O Dia publicou nesta terça (6) o confronto entre os usuários do Parque de Madureira e os GMs. Trechos da reportagem foram lidos pelo vereador no seu discurso. "Recorro ao Plenário para atender a uma categoria que tenho muito respeito, os Guardas Municipais. Este assunto é recorrente e que, também, não é exclusividade dos guardas, mas consequência da escalada de violência que estamos submetidos na nossa cidade. E servidores da Segurança Pública ficam ainda mais expostos", afirmou o parlamentar.  
Momento em que uma guarda municipal é agredida dentro da UPA. Reprodução Internet

Garcia relatou a dinâmica das agressões contra os guardas, usando como fonte a reportagem e denúncias recebidas no seu gabinete. No entanto, ele disse que não poderia reproduzir o vídeo na sessão plenária por se tratar de cenas fortes e chocantes, se referindo, principalmente, os socos e pauladas deferidos contra a agente da Guarda. As imagens mostram a profissional sendo atingida no rosto por um soco dado por um dos acusados de agressão no Parque de Madureira. "Quero disser da minha indignação nas redes sociais para que todos possam observar o trabalho da Guarda Municipal como eu vejo. Eles atuam para maior segurança e conforto da população", ressaltou.

Segundo o vereador, esta não é primeira denúncia feita pela categoria ao seu gabinete envolvendo agressões praticadas durante os trabalhos nas ruas do Rio, em consequência da falta de estrutura no ambiente de serviço. Garcia citou outras cenas de violência contra agentes da GM também no Parque de Madureira, em outros períodos. "Existem regras para o usuário usufruir da melhor forma possível estes locais [áreas de lazer]", disse Garcia. O vereador estava se referindo aos supostos motivos que levaram às agressões contra os agentes, no último domingo. Segundo os relatos no jornal e pelas denúncias, uma comerciante procurou os guardas logo após ser desrespeitada por um grupo de frequentadores, que se recusou a devolver as cadeiras da sua barraca no horário de fechamento do Parque. Um dos guardas pediu reforço para a corporação e foi o primeiro a ser agredido. Com a chegada da equipe, um tumulto generalizado tomou conta do lugar. As novas agressões foram registradas em vídeo na UPA para onde foi levado o guarda ferido.

"A falta de respeito deste grupo [de agressores] foi tão grande que eles nem respeitaram os pacientes que estavam na UPA esperando por atendimento, o que poderia agravar o estado de saúde dos pacientes", destacou Garcia no seu discurso. O vereador finalizou a sua fala na tribuna fazendo um alerta: "desta vez não houve registro de feridos graves, mas num próximo episódio de violência não sabemos se teremos vítimas fatais, provavelmente um guarda municipal, porque eles continuam trabalhando submetidos às condições inadequadas e sem qualquer segurança. O poder público está omisso em deixar o seu servidor expostos a tantos riscos, diariamente".


Rotina de violência: Família agride guardas municipais no Parque de Madureira e dentro da UPA

Um grupo de frequentadores do Parque Madureira, na Zona Norte do Rio, entrou em confronto com agentes da Guarda Municipal na recepção de uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) em Rocha Miranda, na noite deste domingo (4/9). A confusão teve início no Parque, quando um agente da Guarda Municipal foi agredido depois de ser acionado para conter uma briga entre frequentadores e uma comerciante. Os agressores foram levados para a 29ª DP (Madureira) e depois encaminhados para a unidade médica, onde teve início um quebra-quebra, assustando os pacientes que aguardavam por atendimento. Três agentes ficaram feridos sem gravidade.

De acordo com a GM, um dos frequentadores tentou agredir a agente que o acompanhava até a unidade médica e teve início um novo tumulto no local. As cenas de guerra foram gravadas por pacientes e mostram a correria dentro da UPA e alguns homens arremessando objetos em direção dos agentes da GM.
O vereador Marcio Garcia (REDE) lamenta o ocorrido e volta a destacar a relevância da atuação da Guarda Municipal na cidade. Para o parlamentar, o agente tem a missão de manter a ordem pública e, desta forma, fica exposto a muitos riscos e à atos violentos de grupos que não compreendem o papel da corporação.

- Mais um episódio de violência que evidencia a necessidade de mudanças urgentes no estatuto da corporação. A categoria precisa de maior segurança no seu trabalho externo, avalia o vereador Marcio Garcia.

Segundo testemunhas, o fato aconteceu no fechamento do Parque de Madureira. Um agente da GM que atua na segurança da área foi chamado para intervir em uma discussão entre uma comerciante e um grupo de usuários, todos da mesma família. Ao chegar no local, o agente pediu reforço à corporação e, na sequência, foi agredido por diversos homens. O agente  sofreu ferimentos na cabeça e foi socorrido para a UPA que fica no mesmo bairro. Somente com a chegada da guarnição da Guarda o tumulto foi controlado. Quatro suspeitos de agressão foram levados para a delegacia.



De acordo com fontes, os homens suspeitos prestaram depoimento e foram  encaminhados pela polícia para exame de corpo de delito na mesma UPA em que o agente da GM estava sendo atendido. Houve um novo tumulto na unidade médica e os pacientes ficaram em pânico. Uma guarda municipal foi agredida e um outro membro da mesma família envolvida na confusão no Parque de Madureira foi detido e levado para a 29 DP, que está responsável pelas investigações. 

Operação da PM fecha Grajaú-Jacarepaguá nos dois sentidos

Notícia de última hora para os motoristas. A Estrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada nos dois sentidos no início da tarde desta terça (6/9). O motivo é uma operação policial da PM em curso no local. A melhor opção agora é o . Alto da Boa Vista.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Esta é a rotina do Vereador Marcio Garcia. Conheça um pouco da sua vida pessoal, profissional e política

É possível ingressar na vida política e manter os mesmos estilo e padrão de vida? Claro que sim! Veja o exemplo na rotina do Vereador Marcio Garcia.  

sábado, 3 de setembro de 2016

LUTO: subtenente do Corpo de Bombeiros é morto por assaltantes em Nova Iguaçu

O primeiro sábado do mês de setembro chega nublado pela atmosfera de tristeza e lamento. Estamos de LUTO pela morte de  um irmão de farda, o subtenente do Corpo de Bombeiros Roberto Luiz da Conceição Martins, de 60 anos, que nesta sexta-feira a noite, infelizmente, passou a integrar a estatística de violência desenfreada no Rio de Janeiro. Roberto Luiz foi atingido por um tiro no abdômen ao reagir a um assalto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele chegou a ser levado para o Hospital da Posse, mas não resistiu aos ferimentos.

É com profundo pesar que venho comentar sobre este acontecimento, que representa para cada herói do Corpo de Bombeiros um duro golpe. Quero manifestar a minha solidariedade a família, amigos e irmãos de farda por esta perda inestimável, de uma pessoa que se dedicou a salvar tantas vidas e, na atual conjuntura de desleixo do poder público, foi covardemente assassinado por um criminoso.

A morte do subtenente é mais um sinal evidente da necessidade de políticas de segurança eficientes para a redução da violência letal no nosso estado. Já passamos de todos os limites toleráveis e vendo um governo apático, sem iniciativa contra este descontrole da violência. Só nos resta cobrar das autoridades uma postura mais austera e comprometida com a sociedade, para que não tenhamos mais notícias como esta do nosso amigo Roberto Luiz. 

Solidariedade: com conta bancária bloqueada, Suipa lança campanha para salvar animais

Como diz o ditado popular “uma andorinha só não faz verão”, mas o poder da coletividade pode salvar vidas. No caso da Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa), pode salvar muitos animais. Há um mês a entidade funciona em estado de calamidade, após o bloqueio da sua conta bancária em função da morte da presidente Izabel Cristina Nascimento, na primeira semana de agosto. Com este cenário, cães, gatos, cavalos e milhares de animais acolhidos pelo órgão correm risco de morrer de fome. Em alerta divulgado nesta sexta (3/9), a entidade garante ter ração para alimentar os bichos somente até este sábado (4).
Para manter cerca de 5 mil cães, gatos e outras espécies acolhidas na sua sede, em Benfica, Zona Norte do Rio, a Suipa utiliza por dia uma tonelada de ração, uma despesa equivalente a R$ 50 mil por semana. Por mês, são 1.540 sacos somente para os animais adultos. Sem recursos, a Suipa lançou uma campanha com pedido de donativos, já que vem sofrendo com uma deserção de dois mil associados com a crise financeira nacional.

Neste fim de semana, a Suipa está com uma tenda armada na Rua do Russel, em frente ao antigo Hotel Glória, no bairro da Glória, na Zona Sul carioca, para receber donativos. O horário de atendimento é das 9h às 16 h (sábado), e até às 15 horas (domingo). Segundo os organizadores da ação solidária, a população está muito participativa e a todo momento chega doações através de telefonemas e na tenda. No entanto, pelas estimativas preliminares a demanda recebida ainda é insuficiente para manter os animais durante o mês de setembro.  
A diretora social Sílvia Marques, que está interinamente na presidência da entidade até o dia da eleição, em 25 de setembro, está recorrendo a Justiça para agilizar o desbloqueio da conta bancária. Enquanto isso não acontece, é hora da população retribuir o amor incondicional destes animais, vamos contribuir. 
Reprodução Internet

A Suipa está recebendo os donativos através do telefone (21) 3297-8777. A contribuição também pode ser feita em dinheiro, através da seguinte conta corrente: Banco Bradesco. Agência 0583 / Conta Corrente 50236-7. O CNPJ é 001080550001-10.



#ascomvereadormarciogarcia