sábado, 26 de dezembro de 2015

Fim de ano com colapso no sistema de saúde: Médicos militares em hospitais e ambulâncias sem atendimento

A crise no setor da saúde no Rio de Janeiro está sob um "efeito dominó" e pode ter mais complicações no período do Ano Novo. O alerta vem sendo feito pelo vereador Márcio Garcia (Rede), que critica o deslocamento do efetivo médico militar para as emergências dos hospitais da rede estadual. O parlamentar frisa que a medida do governo pode acarretar na retirada das ambulâncias em atendimentos.

Veja a reportagem do SBT Rio:


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal e próspero ano novo


Mais um ano se encerra, mais um ciclo se fecha e é chegado o tempo de fazer uma retrospectiva. Tempo de olhar para trás e rever os planos que foram traçados, o caminho que foi percorrido, as metas e objetivos que foram realizados, e os sonhos que foram alcançados.

É tempo, também, de olhar para frente, refazer planos, vislumbrar novos horizontes e abrir o coração para sonhar. 

Nós agradecemos pela oportunidade de fazer parte da sua história e poder contribuir. Esperamos que esta parceria continue ainda por muitos e muitos anos. 

Estávamos, estamos e estaremos sempre à sua disposição.

Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero. Boas Festas e Felicidades!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Crise! Será?

O Governo do Rio segue fazendo mais vítimas sob o argumento de o Estado viver uma crise. Para além do debate sobre as causas da crise e a colaboração da atual gestão, afim de que toda sorte de sofrimento seja imposta ao povo Fluminense e seus servidores, o que mais assusta é a falta de coerência  entre eles. 

Temperatura no interior das ambulâncias
Num momento alega não ter recursos para pagar médicos, enfermeiros e outros servidores dos hospitais e desloca bombeiros e policiais militares, na tentativa de manter as emergências dos hospitais em funcionamento, no momento seguinte mantém em dia os investimentos com eventos esportivos e comemorativos. 

Alega não ter condições de pagar pela manutenções das viaturas do SAMU, mantém o serviço que é obrigação do município oferecer funcionando, em vez de fazer o mais razoável, que é devolver ao município o serviço do SAMU na cidade do Rio de Janeiro.

Falta recurso para manter o ar condicionado das ambulâncias funcionando, mas sobra para comprar veículos de luxo, em vez de carros populares, para serem empregados no combate à dengue.

Não entendo quais são as prioridades desse governo.

Carros de luxo adquiridos para o combate à dengue


quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Revista Época: Miro Teixeira avalia processo de impeachment

O deputado federal Miro Teixeira (Rede/RJ) concedeu uma entrevista a Revista Época avaliando o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e ainda comentou a relação azedada entre a chefe de estado e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) - "Se fossem solteiros e mais jovens, Dilma e Cunha poderiam se casar". O parlamentar importou no ano de 1989, dos Estados Unidos, a concepção de colaboração premiada, sancionada seis anos depois no Brasil e exaustivamente utilizada na atual operação Lava Jato, com a denominação de "delação premiada".  







Pensionistas devem receber segunda parcela do 13o.


Crise na saúde: Estado quer bombeiros e PMs nas emergências dos hospitais

O governo do Estado do Rio publicou nesta quinta-feira (17/12), no Diário Oficial, o decreto 45.505, que autoriza o deslocamento dos servidores públicos militares, além de insumos e equipamentos para atender as emergências dos hospitais da rede estadual. 

De acordo com a determinação, a mudança deve acontecer no período de 18 de dezembro a sete de janeiro de 2016. O vereador Marcio Garcia (Rede) avaliou a medida como "ineficiente" e "inadequada", pois vai interferir diretamente no trabalho de salvamento feito pelos bombeiros e o governo está apenas "tapando um buraco para criar outro", sem levar em consideração a sobrecarga que os agentes da corporação estão sendo submetidos.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que a medida "foi usada de maneira informal, pontualmente, em outras situações". Segundo o órgão, o plano é classificado como de "contingência", traçado de forma preventiva, considerando que o período de festas de fim de ano é crítico no que se refere a escala de plantão médico de urgência e emergência, marcado por registros de falta de funcionários. "O objetivo é garantir o atendimento e a prestação de serviços de saúde à população", justifica a SES.










Mobilização dos bombeiros derruba veto do governo na Alerj


A mobilização dos bombeiros da área da Saúde resultou em uma grande vitória na tarde desta quarta-feira (16/12), na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A revindicação da categoria era para a derrubada do veto do governo estadual ao Projeto de Lei 262/2015, que altera de 12 para seis anos o interstício da primeira promoção por tempo de serviço dos militares da saúde. 

A matéria não estava na pauta de votação, mas com a pressão feita pelos bombeiros militares, que lotaram as galerias, levou o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), recolocar a discussão no Plenário. Resultado: os deputados apoiaram em massa a derrubada do veto. Picciani se comprometeu de enviar mensagem da decisão ao governo para sanção no prazo de 48h.

O vereador Marcio Garcia (Rede) acredita que o resultado na Alerj abre precedente para novas conquista pela categoria e elogiou a forma pacífica e organizada das últimas manifestações em torno do tema.



quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

MPE oferece denúncia contra bombeiros acusados de agredir vereador

Episódio aconteceu no ano passado, durante um evento oficial da corporação. A vítima foi o vereador Marcio Garcia

O Ministério Público do Rio ofereceu denúncia à Justiça Militar contra o Major Bombeiro Luiz Antônio Freire de Alcântara e o Sargento BM Walmir André da Silva. Os dois militares são acusados de agredirem o vereador Marcio Garcia (Rede) em um episódio ocorrido no ano passado, durante uma formatura na escola de bombeiros, em que todos os oficiais, inclusive da reserva, estavam convidados. 

A denúncia oferecida pelo promotor de justiça Paulo Roberto Mello Cunha Jr, detalha como aconteceu a agressão entre as partes envolvidas. Segundo o vereador, ao se identificar na entrada do evento, teria sido avisado pelos praças que a sua entrada não era permitida. O parlamentar questionou a autoria da ordem, já que havia uma publicação em boletim interno com o convite aos oficiais. Como não houve respostas dos militares, Garcia tentou entrar e foi agredido pelo major Alcântara e sargento Silva. Ainda de acordo com a denúncia, após a confusão, um oficial responsável pelo evento dos Bombeiros teria ido até a portaria e dito ao parlamentar que ele só precisaria se identificar para a sua entrada ser liberada. Garcia sofreu uma luxação em um dos braços e entrou com uma ação de representação contra os agressores. 

Segundo fontes que não querem se identificar, o comandante-Geral do Corpo de Bombeiros na época, coronel Sergio Simões, teria feito uma reunião "oficiosa" com os comandantes de todas as unidades e teria pedido para eles barrarem a entrada do vereador nos eventos. Depois disso, Garcia era sempre barrado nos compromissos oficiais da corporação. A relação azedada entre os dois - major Garcia e coronel Simões - vem desde a ocupação do Quartel Central dos Bombeiros, em 2011, quando o vereador era um dos líderes do movimento.


quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Ataques no Rio: "as UPPs se transformaram num cemitério de Policiais Militares"


Depois dos ataques ordenados por criminosos na comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro, no último domingo (6/12), que deixaram dois policiais mortos, o vereador Marcio Garcia gravou um vídeo criticando a postura “omissa” do governo do Estado, que “coloca em risco a vida de milhares de policiais”. Na opinião do parlamentar, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame estão tentando minimizar a crise no setor, enquanto 14 comunidades pacificadas foram colocadas em “bandeira vermelha”, o que representa risco máximo na escala de periculosidade.

“O senhor governador Pezão e o seu eterno secretário de Segurança Pública, Beltrame, caminham de olhos vendados no imenso tiroteio que se transformou o nosso querido Rio de Janeiro”, começa o seu discurso o vereador. Garcia destaca ainda que a capital sofre com uma grave epidemia de violência, completamente fora de controle.

“Nesse trem desgovernado da segurança pública, as UPPs se transformaram num cemitério de policiais militares. Só este ano, foram 12 policiais militares mortos nas comunidades ditas pacificadas, o que dá a trágica marca de um policial morto em UPP por mês”, contabiliza o parlamentar. Ele relembra o episódio no último domingo no Jacarezinho, ressaltando que o próprio governo reconheceu o risco ao recuar a tropa da unidade policial.

“Os PMs dessas comunidades estão com medo de trabalhar, com medo de morrer. Muito pior, estão com medo de ficar incapacitados, depois dependendo de um estado que lhes vira as costas quando eles mais precisam”, diz o vereador na gravação. E acrescenta: “O Rio não é só um canteiro de obras. É um canteiro de covas esperando a próxima vítima. Aqui, morre policial e morre trabalhador. Só não morre a inércia e a inoperância das nossas autoridades”.


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Líder do governo vai levar análise de veto ao Colégio de Líderes

Matéria seria votada nesta terça-feira, na Alerj, envolvendo tempo de promoção para bombeiros da área da saúde

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Edson Albertassi (PMDB), disse a Comissão de Negociação dos Bombeiros que vai encaminhar ao Colégio de Líderes a revindicação da categoria da derrubada do veto do governo estadual ao Projeto de Lei 262/2015, que altera de 12 para seis anos o interstício da primeira promoção por tempo de serviço dos militares da saúde. A matéria estava prevista entrar em votação na tarde desta terça-feira (8/12), na sessão ordinária na Casa, o que não aconteceu.

O porta-voz dos bombeiros na Casa foi o vereador Marcio Garcia, que na parte da manhã se reuniu com diversos deputados para sensibiliza-los da importância do veto ser derrubado. "Os bombeiros resolveram dar um voto de confiança ao deputado Albertassi e vamos aguardar a decisão do colegiada antes da categoria pensar em ocupar novamente as escadarias da Alerj em protesto ou até voltar a acampar no local, como aconteceu no passado", disse o vereador. O líder do governo deu o prazo até quinta-feira para resolver a questão na Alerj.

Bombeiros e funcionalismo estadual ocupam Alerj nesta terça

Cerca de 800 pessoas lotam escadarias em ato contra atraso salarial e veto do governo


A manifestação dos servidores do Estado do Rio de Janeiro e dos Bombeiros teve início agora há pouco nas escadarias da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), com a participação inicial de cerca de 800 pessoas. As categorias protestam contra o atraso no pagamento do salário do mês de dezembro e o parcelamento do décimo terceiro.


No caso dos bombeiros, o ato tem um motivo a mais, além da questão salarial. Eles lutam pela derrubada do veto do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ao Projeto de Lei 262/2015, que altera de 12 para seis anos o interstício da primeira promoção por tempo de serviço dos militares da saúde.

A matéria deve ser colocada em pauta na tarde desta terça-feira (8/12). Desde cedo, o vereador Marcio Garcia (Rede) tenta sensibilizar os deputados em favor da causa dos bombeiros. 

Por volta das 15h30, a entrada dos bombeiros foi liberada para ocupar as galerias da Casa e acompanhar a votação. 
A liberação partiu do presidente da Alerj, Jorge Picciani(PMDB), acolhendo o pedido do vereador Marcio Garcia.

Segundo Garcia, a partir das discussões com os deputados, nesta manhã, é possível arriscar uma tendência de votação favorável aos bombeiros. O parlamentar estima que mais de 70% dos deputados devem se posicionar contra o veto.

Bombeiros voltam ocupar Alerj para reivindicar benefícios salariais e derrubada de veto do governo

Casa deve votar nesta terça-feira veto do governo ao projeto que altera interstício da primeira promoção por tempo de serviço dos militares da saúde

 

Uma comissão de negociação formada por bombeiros da área da saúde vai tentar na manhã desta terça-feira (8/12), com o apoio do vereador Marcio Garcia (Rede), garantir com deputados a votação – que deve acontecer na sessão ordinária – favorável à derrubada do veto parcial do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ao Projeto de Lei 262/2015, que altera de 12 para seis anos o interstício da primeira promoção por tempo de serviço dos militares da saúde. A previsão é que eles ocupem as galerias na parte da tarde, durante a sessão, enquanto um grupo grande de bombeiros e outros servidores públicos ocupem as escadarias da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

 

O funcionalismo público teve os seus benefícios salariais fracionados neste mês de dezembro, dentro do pacote de contenção do governo estadual em meio a crise financeira no Estado.  

 

Para o vereador Marcio Garcia, que acompanhou a última reunião do Colégio de Líderes na Alerj, no dia 10 de novembro, que tratou do assunto ligado aos bombeiros do setor da saúde, a votação deve ser favorável à derrubada do veto. Na contabilidade do parlamentar, cerca de 70% dos deputados devem se posicionar a favor da causa da categoria.

 

Com a derrubada do veto, o próximo passo será o governo do Estado, através de decreto, reorganizar o cronograma de promoções acima da patente de sargento.

 

Já os servidores estaduais, devem aproveitar a presença dos bombeiros na Alerj para endossar o coro contra o parcelamento do salário neste mês e a ausência de uma previsão de pagamento da segunda parcela do décimo terceiro. Além disso, eles protestam contra a possível mudança no calendário salarial do próximo ano.

 

Serviço:

Ato dos Bombeiros na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)

Chegada da Comissão de Negociação dos bombeiros: 12 horas

Ocupação das escadarias: 14 horas

Início da votação e ocupação das galerias: 14 horas

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Fim de ano da recessão no Rio: Governo parcela pagamento de servidores

Em um vídeo gravado esta semana na Câmara Municipal do Rio, o vereador Marcio Garcia (Rede) repudia a medida do Governador Luiz Fernando Pezão de sacrificar os benefícios salariais dos servidores públicos estaduais. A categoria teve uma surpresa nada agradável para um fim de ano: recebeu o contra cheque com o parcelamento dos salários.

O parlamentar criticou ainda a falta de previsão para o pagamento do décimo terceiro, assim como a alteração no calendário de pagamento para 2016. "Bombeiros, policiais militares e demais classes estou à disposição para contribuir com vocês para uma bela resposta a este governo covarde. Discutam bem e tenham em mim mais um soldado na defesa de nossas famílias e direitos", afirmou na gravação.


Personalidades de diversos setores são homenageadas na Câmara

O vereador Marcio Garcia (Rede) presidiu na noite desta quinta-feira (3/12), no Plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, a cerimônia que homenageou com as Medalhas Pedro Ernesto e São Francisco de Assis, além de Moções de Louvor e Reconhecimento, as personalidade de maior destaque nas suas áreas de atuação durante o ano de 2015. O evento, com uma plateia que lotou o Plenário, teve a participação de autoridades e profissionais dos setores de saúde, segurança pública, transporte, força militar, educação, movimentos sociais, entre outros.
Medalhas Pedro Ernesto e São Francisco de Assis

A Medalha Pedro Ernesto foi entregue ao Tenente da Aeronáutica Gerson da Silva Paulo, presidente do Diretório Estadual do Partido Militar Brasileiro (PMB). Ativista nas causas em defesa dos animais no município do Rio, a advogada Juliana Garcia de Oliveira foi contemplada com a Medalha São Francisco de Assis. As Moções de Louvor e Reconhecimento foram dadas para os profissionais cujos trabalhos tiveram destaque no município, contribuindo, de alguma forma, para o desenvolvimento do Estado. Foram eles:
Alessandro Ruiz Martinez - Taxista
Alexandre de Lima Ramos - Capitão e Comandante da 3a. Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão
Almir Teixeira Santos - Cabo da PM
Antônio Carlos Alves Correia - Militar Reformando do Exército
Augusto de Paulo Albuquerque - Militar da Aeronáutica
Em seu discurso, Juliana Garcia leu um trecho da chamada "Carta de Seattle"
Clavio Luiz Ribeiro Filho - Coordenador da Emergência do Hospital Estadual Getúlio Vargas

Daniel da Silva Rodrigues - Assessor do PMB

Diogo Alvim Padilha - Professor de Educação Física em São Pedro da Aldeia

Eury Antônio Gobbi Sabino - Chefe da Cirurgia Geral do Hospital Estadual Getúlio Vargas
Edilza Moreira dos Santos - Enfermeira do serviço de Obstetrícia e Ginecologia do Centro Médico de Saúde Dr. José Breve dos Santos
Edinízia Holanda Marques - Estudante e Estagiária
Edvaldo Russel Filho - Militar do Exército
Elio Ricardo Lopes Ramos - Secretário de Articulação do PMB
Fernando Cesar Vieira da Silva - Militar Reformado da Marinha
Gerson Matias de Almeida - Presidente Municipal do PMB em Queimados
Iago Ariel Cabral Calheiros - Tenente e Subcomandante da 3a. UPP do Alemão
Jairo Gomes Ferreira - 3o. Sargento do Corpo de Bombeiro
João Luiz Pereira Cabral - Secretário Geral do PMB no Rio de Janeiro

João Roberto Furtado Chaves - 1o. Sargento do Corpo de Bombeiros

Jorge Alves da Silva - 1o. Sargento do Corpo de Bombeiros

Jorge da Silva Motta - Médico-Diretor do Hospital Pedro Ernesto

José Bonifácio Bezerra Júnior - Militar da Marinha

Leandro Alves Tavares Lazarino - Militar da Aeronáutica

Lidia Lima de Oliveira - Enfermeira do Hospital Mário Kroeff

Luiz Cláudio Gracindo de Souza - Pastor da Assembléia de Deus da Cidade Alta
Nivaldo Godoi Ramos - Professor de Educação Física
Paulo José dos Santos de Oliveira - Militar Reformado da Marinha
Rafael Batista Silva - Segurança
Raquel Wick de Marques - Advogada e Jornalista
Ricardo Gusmão do Nascimento- Presidente do PMB em Nilópolis
Sara da Silva Coutinho - Advogada
Sergio Ricardo Vidinha - Técnico Administrativo
Simone da Conceição Barbosa Vianna - Chefe Substituta da Enfermagem do Hospital Mario Kroeff
Vinícius Feliciano Machado - Militar Reformado do Exército
Zoraia Pereira de Castro - Chefe do serviço de Enfermagem do Hospital Mário Kroeff

Vereador Marcio Garcia e a ativista e advogada Juliana Garcia de Oliveira
Vereador Marcio Garcia e o Tenente da Aeronáutica Gerson da Silva Paulo