quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Bombeiros fazem mobilização em favor da reestruturação da carreira

Um grupo com quase 90 bombeiros militares se reuniu na tarde desta quarta-feira (25/11) no auditório da Câmara Municipal do Rio. No centro das discussões estava a reestruturação da carreira. Os bombeiros reivindicam que os cursos de formação e aperfeiçoamento – exigido para a continuidade na carreira – sejam realizados anualmente, garantindo a realização de concurso anual para soldados e a progressão gradativa desses ao longo do tempo, possibilitando o acesso até o último posto (Coronel).

 “A forma irregular que vem acontecendo estes cursos, há cada três ou quatro anos, dá ao bombeiro uma sensação de estagnação na carreira. Ele vislumbra postos mais altos, mas não tem condições de chegar lá sem a oportunidade de realizar os cursos”, explica o vereador Marcio Garcia (Rede/RJ), que participou do encontro com a classe. Da reunião saiu uma agenda enumerando medidas e sugestões para reverter o quadro de estagnação. O material será encaminhado pelo vereador ao comandante-Geral do CBMERJ, coronel Ronaldo Jorge de Alcântara, nos próximos dias.


Em um encontro realizado na Assembleia Legislativa (Alerj) no dia 10 de novembro entre a categoria, o Comando da corporação e deputados, foi aprovada uma negociação que reduz o interstício de 12 para seis anos para a promoção ao posto de Sargento do bombeiro da área de saúde. A regulamentação dos novos interstícios será feita por decreto. O vereador Marcio Garcia participou do encontro e destaca um novo contorno da mobilização dos bombeiros. “É muito importante manter um canal de diálogo com o governo e acreditamos que como nossa proposta não envolve investimento financeiro, tenho certeza de que podemos sensibilizar o governo a rever questões pontuais que representariam grandes avanços para a categoria. Estamos sensíveis à crise econômica e as dificuldades do governo estadual, no entanto, a nossa pauta também é urgente. A nossa intenção é encontrar uma saída que favoreça os dois lados, categoria e poder público.”, diz o parlamentar.  

2 comentários:

  1. Boa noite Vereador,qual seria a possibilidade de ser revista a lei 6162 que trata do auxílio transporte,pois hoje no CBMERJ independentemente do local onde o militar reside e onde ele trabalha ,esse auxílio é o mesmo. Por exemplo ,os militares que moram no município do Rio de Janeiro e servem no interior gastam cerca de R$150,00 por plantão ,nas forças armadas o auxílio é pago conforme a despesa do militar segundo a medida provisória 2165/01 e também na tabela que saiu na nota 320 da Secretaria Geral da Marinha desde já agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
  2. Como fica o pessoal cursado com o fim da PRETERIÇÃO? será que quando tivermos o interstício para a promoção terá vaga??
    Tudo leva os colegas de farda a NÃO estudar!!!!

    ResponderExcluir