quinta-feira, 16 de julho de 2015

Picciani 1 X 0 Bombeiros

Governador afirma que comandante errou ao aumentar limite de armas para bombeiros

Portaria que dava permissão para militar ter até seis armas será anulada no Diário Oficial desta quinta-feira, confirma Pezão

POR GUSTAVO SCHMITT

Para o governador Luiz Fernando Pezão, comandante-geral dos bombeiros errou ao publicar portaria que permite membro da corporação ter até seis armas - 


Fabiano Rocha / Agência O Globo (01/01/2015)

RIO — O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, disse, no final da tarde desta quarta-feira, que o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Ronaldo Alcântara, errou ao autorizar o aumento de três para seis o limite de armas registradas por cada membro da corporação. Segundo Pezão, a portaria que anula a medida será publicada pelo coronel no Diário Oficial do estado desta quinta-feira.

— Eu acho que ele (o coronel Ronaldo Alcântara) errou. Devia ter me consultado. Sou contra arma — afirmou o governador, que, apesar disso, disse não ver problema no porte de três armas para bombeiros.

Questionado pelo GLOBO sobre as críticas do governador, o coronel Ronaldo Alcântara informou, por meio de nota, “que suas ações priorizam a gestão e que está sempre disposto a rever qualquer medida que possa causar questionamentos e transtornos”.

De acordo com a portaria anulada, a autorização para o porte de armas ficaria condicionada a testes psicológicos e de habilidade motora. O regulamento estabelecia ainda que cada bombeiro poderia adquirir, ao longo de um ano, até duas armas de fogo, que não precisariam ser caracterizadas com o brasão da corporação. Além disso, cada um teria a permissão para comprar até 200 balas de uso restrito por ano.

A portaria foi duramente criticada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB). Picciani chegou a dizer ao jornal Extra que “governo que autoriza um decreto como esse, está sem comando”. Picciani se disse favorável à desmilitarização dos bombeiros e lembrou que a CPI das Milícias da Alerj, cujo relatório foi concluído em 2008, apontou a participação de vários deles em grupos paramilitares.

O governador tentou minimizar as críticas de Picciani. Apesar de negar que haja troca de farpas com o presidente da Alerj, Pezão mandou um recado:

— Ele (Picciani) tem que falar porque é do parlamento. É do jeito dele mesmo. Sou um democrata. Aceito críticas. Às vezes posso não agradar muito as pessoas. Mas esse é o meu jeito e não vou mudar.

O coronel Ronaldo Alcântara não comentou as críticas de Picciani.

Em 2008, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, chegou a sugerir um projeto para restringir o uso de armas por bombeiros, mas a proposta não avançou. Na ocasião, acreditava-se que até 25% da tropa poderiam estar envolvidos em milícias.

Uma reportagem do GLOBO, publicada em 2011, mostrou que um terço dos praças e oficias do Corpo de Bombeiros do estado possuía porte de arma.

Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/governador-afirma-que-comandante-errou-ao-aumentar-limite-de-armas-para-bombeiros-16777229


Comentário: O Deputado Picciani prometeu que revogaria a regulamentação para aquisição e uso de arma de fogo pelos bombeiros e cumpriu, na verdade, nem precisou de muito esforço, e em apenas um dia conseguiu "convencer" o governador a anular a portaria. 

Isso sim é prova de que o governo está sem comando, uma regulamentação coerente e construída durante muitos meses, apresentada por seu secretário de governo, foi anulada porque alguns deputados, que nada sabem sobre o secular Corpo de Bombeiros, decidiram usar os bombeiros para fazer política e defender suas 

LAMENTÁVEL

Em vez de gastar seu precioso tempo desarmando as pessoas de bem, poderiam se dedidar mais em desarmar os bandidos, e no dia que os bandidos estiverem desarmados nós podemos desarmar as pessoas de bem.

2 comentários:

  1. O nobre deputado Picciani afirmou ser um absurdo bombeiros possuírem porte de arma.
    Excelência, absurdo são nossos parlamentares possuírem planos de saúde que lhes garantem os melhores serviços hospitalares, custeados pelo povo, enquanto a população morre nos corredores dos hospitais publicos;
    Absurdo também, são os salários e verbas de gabinetes dos parlamentares enquanto a grande parte do povo carioca vive com um salario minimo que cada dia tem menos poder de compra;
    Absurdo ainda, é o cidadão morrer todos os dias, vítima de latrocínio, no interior dos coletivos lotados, enquanto vossas excelências usufruem de viaturas blindadas com motoristas e seguranças pagos pelos nossos impostos e ainda fazendo uso de servidores públicos de poderiam estar servindo a população.
    Alias, isso não é uma absurdo é uma vergonha.
    Sgt Guima.


    ResponderExcluir
  2. Parabéns Picciani,bombeiros não precisam de armas,até pq à função deles são outras.daqui à pouco Marinheiros,Fuzileiros Navais e Guardas Municipais vão se achar no mesmo direito,pois assim como o bombeiro eles tb são concursados e tem estabilidades.Já pensou essas pessoas todas armadas nas ruas.Acaba com isso excelência o quanto antes.Lembre-se que em outros países o bombeiro tem STATUS CIVIL.

    ResponderExcluir