quarta-feira, 27 de maio de 2015

Reunião com o Comandante Geral

Conforme comunicado publicado neste blog (http://www.marciogarciarj.com.br/2015/05/comunicado-aos-bombeiros.html), na tarde desta terça-feira, dia 26 de maio, fui até o gabinete do atual Secretário Estadual de Defesa Civil e Comandante Geral (Cel Bm Alcântara) para solicitar a colaboração do CBMERJ nas ações da Comissão Permanente de Defesa Civil da Câmara Municipal, a qual tenho a honra de presidir.

Aproveitei ainda a oportunidade para apresentar a pauta de reivindicações dos bombeiros e debater alguns assuntos de interesse para a Corporação, entre eles, a desvinculação do SAMU. O Comandante se comprometeu comigo em manter um canal permanente de diálogo, o que representa uma ótima oportunidade para fazer chegar ao Comandante Geral as necessidades dos Bombeiros.

Não é de hoje que venho afirmando que um representante não faz o que vem na sua cabeça, ele tem que seguir a orientação de seus representados. Ao ponto de entender que a minha opinião pessoal sobre determinada questão não tem mais importância do que a opinião de qualquer outro bombeiro, o que interessa é a opinião da maioria, mas isso não tira o meu direito de ter uma opinião e defendê-la.

Dito isso, eu entendo que o papel de um representante político é na defesa dos interesses de seus representados, assim como um advogado representa em juízo o interesse do seu cliente. Para cumprir bem essa função, o representante político precisa de autoridade, prestígio e acesso as autoridades para apresentar e defender as demandas de seus clientes, no caso do representante político, os seus eleitores.

Por fim, submeto a apreciação de todos a proposta de fazer do mandato de vereador um canal de acesso e defesa dos interesses dos bombeiros junto ao Comando do CBMERJ. 





Pauta com a assinatura do Comandante Geral 







2 comentários:

  1. Prezado, Vereador, boa tarde! Que com esta aproximação, o Senhor possa olhar para os 201 excedentes do último concurso para soldados combatentes/2014. Precisamos de uma resposta do Comando, pois não aguentamos mais esta inércia. Estamos com testes físicos e exames prontos, faltando, apenas, a parte documental para ingressarmos na Corporação. Não estamos conseguindo controlar a ansiedade! Olhe por nós, necessitamos da sua ajuda! Atenciosamente, Rodrigo Marins (excedente 55).

    ResponderExcluir
  2. 12 anos na graduação de cabo bombeiro militar, totalmente injusto com aqueles que ja entraram com uma especialidade. Se ja entramos como cabo, pq cumprir 12 anos nesta graduação? Não seriam 6 anos?

    ResponderExcluir