quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Pelo fim do RAS compulsório

Desesperado ao ver que seu horário de descanso e convívio com a família foi tomado, um PM se algemou no quartel.

A fonte desse problema é o tal do RAS compulsório. Ele deveria ser usado para remunerar os serviços extras oferecidos como uma forma de complementar a renda do policial, mas na PMERJ tem sido imposto e como é obrigatório, se transformou em outra escala de serviço, diminuindo ainda mais o período de descanso dos policiais, que já é o menor no estado do rio, afinal eles ainda estão submetidos a escala 24x72.

O governo está se arriscando muito ao pressionar os policiais. Eles estão se mobilizando e se o Pezão continuar seguindo as ordens do Cabral vai ter o mesmo destino deste.

Fica esperto governador! Policial também é gente, tem família, precisa descansar, e só assim dará o seu melhor no trabalho para nos defender da bandidagem.


As providências tomadas pelo governo foram bem ao estilo CABRAL. 

TIRO, PORRADA E BOMBA!!!

PRENDEU TODO MUNDO QUE ESTAVA NO CAMINHO.

Enquanto centenas de vagabundos ganham a liberdade diariamente, o policial desesperado vai passar a virada de ano encarcerado e responderá por crime (Em que crime ele foi enquadrado?). Uma coisa é consenso. Quem prendeu o PM em flagrante tem muita imaginação por ter achado onde enquadrar essa conduta como crime e levar o militar ao BEP.


VAMOS ACOMPANHAR O CASO DE PERTO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário