sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O RIO DE JANEIRO QUE MERECEMOS (04) - SEGURANÇA PÚBLICA


A falta de uma segurança pública de boa qualidade é um problema que afeta todo o estado do Rio de Janeiro, como o noticiário comprova diariamente.
A população carioca chegou a ser iludida durante algum tempo no início do governo Cabral-Pezão em virtude da propaganda positiva que foi desenvolvida com relação ao projeto de implantação das denominadas Unidades de Polícia Pacificadora, as famosas UPPs.
Nos primeiros anos o cidadão percebendo que as UPPs eram instaladas apenas na cidade do Rio de Janeiro, provocando a migração de criminosos para outros municípios, chegou a pensar que a "cidade maravilhosa" estaria segura.
Ledo engano, o projeto de implantação foi mal gerenciado e as UPPs mostraram a sua face negativa, antes escondida pela imprensa que apoiou (apoia) o governo estadual.
Policiais Militares sendo mal formados; falta de efetivo nos batalhões operacionais, prejudicando o policiamento ostensivo (prevenção); tráfico atuante nas áreas com UPPs, inclusive confrontando com os Policiais Militares (matando e ferindo) e surgimento de novos pontos de vendas de drogas, isso em bairros onde o problema não existia, são alguns dos efeitos negativos do projeto.
A insegurança e a violência se espalharam.
Além dos problemas com as UPPs, a área da segurança pública atravessa uma crise sem precedentes, sendo que o próprio secretário de segurança foi denunciado pelo Ministério Público (PM) por superfaturamento de contratos e improbidade administrativa.
Na Polícia Militar, onde foram nomeados seis Comandantes Gerais, os Oficiais do Estado Maior estão sendo investigados também pelo MP.
Ainda na esfera estadual, não constatamos qualquer avanço em termos de interação entre as Polícias Militar e Civil, um problema antigo não solucionado.
No tocante à Guarda Municipal o diagnóstico se repete: não tivemos avanços.
A GM-Rio continua sendo comandada por Oficiais da Polícia Militar e os salários estão longe do ideal.
Os valorosos Guardas Municipais padecem até com a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), algo inaceitável em uma cidade rica como o Rio de Janeiro.
Tal quadro de descaso da prefeitura fez inclusive com que os Guardas Municipais iniciassem uma paralisação.
Nesse rápido diagnóstico, fica evidente que a gestão da segurança pública no Rio de Janeiro é caótica.
Não é essa a segurança pública que a população carioca merece.
Juntos podemos mudar esse quadro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário