segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O RIO DE JANEIRO QUE MERECEMOS (02) - MOBILIDADE URBANA, EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE



Dias atrás eu lancei a ideia de buscar uma interação com  a população para que fossem apresentados temas objetivando transformar a nossa cidade pudesse se transformar em uma cidade verdadeiramente maravilhosa.
Eu publicarei uma série de artigos com o título "O Rio de Janeiro que merecemos" e neles destacarei ideias para mudar a triste realidade da nossa cidade, sobretudo as nascidas no seio da população, cliente dos nossos péssimos serviços públicos, por exemplo.
Diante do proposto foi com alegria que recebi o e-mail do cidadão Pedro Papastawridis, o qual transcrevo a seguir, contendo as primeiras propostas.
Peço que todos sigam esse exemplo, tenho certeza que estamos no caminho certo para a construção do Rio de Janeiro que merecemos:

E-MAIL:
Caro Vereador Marcio Garcia, boa noite! 
Uns dias atrás, ao acessar uma Indicação que você fez para a Prefeitura acerca de pedido de reflorestamento da Serra da Posse (Indicação 865/2013), deixei uma mensagem na sua página na Câmara de Vereadores sobre uma sugestão de pauta a ser tratada na Casa e/ou com o Poder Executivo Municipal. 
Acessando sua página na Internet, encontrei a campanha de publicação de artigos com temas de interesse do cidadão carioca intitulada "O Rio de Janeiro que queremos". 
Isso posto, deixo três sugestões de temas para discussão, por entender que eles vão ao encontro dos anseios da população carioca por um Rio mais justo e de todos: 
1. Mobilidade urbana -> quais são as soluções necessárias à reversão desse quadro de imobilismo que está tomando conta da Cidade Maravilhosa? Atualmente, milhões de pessoas passam duas ou mais horas por dia em deslocamentos casa/trabalho/casa na Região Metropolitana, cujas causas remontam à obsolescência do modelo de mobilidade atual, baseado, sobretudo, no modal rodoviário. É intolerável que um morador da Zona Oeste carioca permaneça mais tempo no trânsito a caminho do Centro da cidade do que em direção a Angra dos Reis. Isso sem falar no descaso com o qual as empresas de ônibus que atuam na Zona Oeste tratam os moradores dessa região, oferecendo um serviço irregular e inadequado por meio de uma frota insuficiente e sucateada. 
2. Educação: como viabilizar uma educação pública de qualidade e com formação de cidadãos conscientes de seu papel na atual sociedade? Em relação à sua proposta de inclusão de tópicos de OSPB e de Moral e Cívica no currículo do curso de História, penso que é pertinente e oportuna. Porém, diante do atual quadro moral que vem tomando conta de nossa sociedade, principalmente por conta dos péssimos exemplos que agentes públicos estão dando e que vêm à tona com as CPIs da Petrobras (o que certamente respingará nos Governos Pezão e Eduardo Paes por causa das empreiteiras envolvidas), penso que esses temas merecem uma disciplina a parte, assim como Ecologia. Além disso, a defesa do ensino em tempo integral e da incolumidade da figura do professor são necessárias, já que a violência dentro do ambiente escolar está desestimulando profissionais da educação a prosseguirem com seus ofícios. 
3. Meio Ambiente: diante do verão que se aproxima, questões como as ilhas de calor resultantes da densificação da mancha urbana em áreas como Centro e Barra da Tijuca, enchentes e desmoronamentos de encostas voltarão a tomar conta do noticiário local. Some-se a isso a ausência de projetos de reflorestamento de grande porte entre as prioridades da Prefeitura, o que dificulta a formação de áreas verdes tão necessárias à mitigação da ocupação irregular de morros e de desmoronamentos de encostas. Ademais, regiões como Bangu e a parte central de Campo Grande carecem de áreas verdes que aliviem a sensação de estufa que assola esses bairros em períodos de calor. Por fim, a exemplo do que ocorre com o Parque do Flamengo e do Parque Madureira, a população da Zona Oeste precisa e merece grandes espaços públicos que conjuguem áreas verdes com a prática de esportes e lazer. 
No mais, parabenizo a sua iniciativa em criar um canal de comunicação direta com a população, exemplo que deveria ser replicado pelos demais agentes públicos eleitos pelo povo. Um forte abraço e fique com Deus! 
Pedro Papastawridis

Nenhum comentário:

Postar um comentário