domingo, 16 de novembro de 2014

CORPO DE BOMBEIROS: GUARDA-VIDAS TERÃO QUE TRABALHAR MAIS NO VERÃO

A omissão do governo está sacrificando os guarda-vidas e expondo ao risco de morte os frequentadores das praias.




"Jornal do Brasil
15/11 às 07h56 - Atualizada em 15/11 às 08h03
Salva-vidas terão que mudar escala para dar conta do trabalho neste verão
Categoria pede concurso público urgente e já fez denúncia no Ministério Público Militar
As notícias sobre o aumento de 50% no número de salva-vidas para a Operação Verão 2015 intrigaram os bombeiros. Na verdade, o número de salva-vidas não aumentou, mas sim a carga de trabalho. Em troca de uma gratificação de R$1.000, os cerca de 900 bombeiros que já compõem o total da tropa terão que mudar sua escala de trabalho para dar conta do serviço neste verão. Em vez de trabalhar 12 horas e descansar 48h, praticamente a totalidade dos bombeiros aceitou trabalhar 12h e descansar 36h. Os bombeiros criticam a demora para a realização de um concurso público e dizem que só aceitam a nova escala por cumprimento do dever.
"O tempo de recuperação do guarda-vida fica deficitário, porque numa escala dia-sim dia-não, não é dado tempo hábil para o profissional se recuperar. Porém, devido a necessidade do serviço, não podemos deixar o pior acontecer. Sabendo da realidade do salvamento marítimo no Estado, sabendo da necessidade de efetivo, se não aceitarmos essas condições vão acontecer mais mortes", diz Cláudio Vinícius Pereira, um dos diretores da Associação dos Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro (ABMERJ).
Ele diz que a escala é voluntária, mas acaba tendo um caráter de imposição, já que os profissionais não podem deixar as praias abandonadas. "Muitos profissionais recusariam pelo fato do valor da gratificação de R$ 1.000,00 não ter sofrido nenhum reajuste em três anos de implementação e pelo desgaste físico de enfrentar cinco meses de praias lotadas, tendo uma escala de descanso menor", critica ele (Leia mais)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário