sexta-feira, 3 de outubro de 2014

VOTO: O DIREITO DOS POLICIAIS MILITARES DEVE SER RESPEITADO

(Fonte: Jornal do Comércio)


A violência no Rio de Janeiro ocorre em qualquer lugar e em qualquer horário.
Diante dessa realidade reforçar o policiamento é uma medida natural e midiática, pois passa a impressão para a população de que o governo Pezão tem a situação sob controle, o que é uma grande mentira.
Nessa confusão que se instalou em termos de segurança pública no Rio de Janeiro, os Policiais Militares são as maiores vítimas e temo que tenham mais um direito violado pelo governo Pezão: o direito de votar.
Tenho recebido denúncias no sentido de que em função das escalas um grande número de Policiais Militares não conseguirá votar, o que é uma grave violação de direito.
Até os alunos que estão no Curso de Formação de Soldados do CFAP participarão do reforço e farão isso desarmados.
Os que moram em outros municípios não conseguirão votar, essa é a alegação.
Obviamente, o governo Pezão não está preocupado com isso, pois os PMs votam contra esse péssimo governo, como todo o funcionalismo público, mas o TRE/RJ e o Ministério Público devem verificar essas denúncias.
Diante desse quadro, os candidatos oriundos dos quadros da Polícia Militar poderão sofrer um grande prejuízo eleitoral, perdendo muitos votos.
Solicitar que o governo Pezão organize a situação é algo impensável, em quase oito anos, não conseguiu organizar nada, muito pelo contrário.
A única chance é uma ação do TRE/RJ ou do Ministério Público junto ao Comando da PMERJ, exigindo que os Policiais Militares primeiro votem, depois assumam o serviço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário