terça-feira, 14 de outubro de 2014

OS PROCESSOS CONTRA PEZÃO, CANDIDATO AO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO




"REVISTA ÉPOCA
(...)
Até agora. ÉPOCA teve acesso a processos judiciais movidos contra Pezão. Em julho, ele foi condenado por improbidade administrativa. A sentença da Justiça Federal do Rio, que ainda não tinha vindo à tona, manda Pezão devolver R$ 29 mil aos cofres públicos pela compra superfaturada de uma ambulância. Ela foi comprada em 2001 pelo município de Piraí, quando Pezão era prefeito.
Além desse processo, o Ministério Público Federal (MPF) move outras quatro ações contra Pezão, também por superfaturamento na compra de ambulâncias. Se for condenado em todas as ações, Pezão pode ter de desembolsar um total de até R$ 170 mil. As sentenças desses processos ainda não foram proferidas. Mesmo aquele em que Pezão foi condenado em primeira instância pode ser revertido na Justiça. Os valores envolvidos também não são de assustar, diante da magnitude de tantos outros exemplos de desvios ou malversação de dinheiro público com os quais os brasileiros, infelizmente, já estão acostumados a conviver. Mas o caso parece ser apenas a ponta de um escândalo maior, segundo o MPF (Link).
Foto: Ale Silva/Futura Press".

2 comentários:

  1. Não sei de Crivela, mas Pezão prometeu e confirmou pelo menos duas vezes a linha três do metrô ligando Niterói à Itaboraí passando por São Gonçalo (Jornal O São Gonçalo -14/09/2011 - ano 80 - ed.15884), e ele afirmou que as obras começariam até o final daquele ano. A outra promessa foi em 12/09/2013 no meso jornal cuja edição foi 16629 -ano 80, e a reportagem diz assim: "Dilma, Cabral e Pezão lançam a linha 3 em São Gonçalo. Então dessa mentira estamos cheio. FORA PEZÃO.

    ResponderExcluir
  2. Prezados,
    Apresento o documento “Ouvidoria - MPF 91759 - Encaminhamento ADPFs ao Procurador-Geral da República”, https://pt.scribd.com/doc/247070036/Ouvidoria-MPF-91759-Encaminhame... , onde estamos transferindo ao Procurador-Geral da República nossos esforços encaminhados ao Procurador-Geral Eleitoral frente ao fato de que o Chefe de Gabinete da Procuradoria Geral Eleitoral se recusa a encaminhar minhas SUGESTÕES calcadas no 5º Art. da Constituição Federal ao Procurador-Geral Eleitoral pelo simples fato de que Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental é atribuição do Procurador-Geral da República.
    Tal esforço, seria desnecessário, caso o Chefe do Gabinete da Procuradoria Geral da República não impedisse o Procurador-Geral Eleitoral de ter acesso às citadas SUGESTÕES, tendo em vista que teima em desconhecer que o Procurador-Geral Eleitoral é função exclusiva do Procurador-Geral da República, e por isso, o Procurador-Geral Eleitoral é, com toda a certeza, o Procurador-Geral da República.
    Apresento o documento “MPF 92447 - ADPF - Coligações à Câmara de Depuados Estaduais”, https://pt.scribd.com/doc/247818071/MPF-92447-ADPF-Coligacoes-a-Cam... , onde estamos completando nossos esforços para que o Pleito de 2014 seja de forma irrefutável, inquestionável, em essência, LEGÍTIMO, onde os sentimentos, os anseios, de TODOS os Cidadãos Brasileiros cônscios de suas Responsabilidades Constitucionais, não sejam traídos, em seus sentimentos MAIS NOBRES, representados pelo Orgulho de VOTAR RESPONSAVELMENTE.
    Aproveito para ressaltar o empenho, a dedicação, do Funcionário do Centro de Atendimento ao Cidadão da Procuradoria-Geral da República, Sr. Álvaro, uma vez que, em nenhum momento se furtou a escutar, e entender, minhas preocupações, quando então, me orientou de melhor maneira possível, para que o Procurador-Geral da República pudesse, ao menos, TOMAR CONHECIMENTO, de minhas propostas de Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental relacionada a somente serem VALIDOS os registros de Coligações Partidárias que necessariamente são ATOS JURÍDICOS PERFEITOS.
    Abraços,
    Plinio Marcos

    ResponderExcluir