sexta-feira, 19 de setembro de 2014

POPULAÇÃO DE SÃO GONÇALO FESTEJA GAROTINHO




"Garotinho reafirma compromissos com população de São Gonçalo 
Candidato do PR promete acabar com perseguição ao transporte alternativo, recuperar o Hospital Alberto Torres e construir dois restaurantes populares. 
Foto: Inácio Teixeira 
Após entrevista ao vivo ao RJ-TV 1ª edição, o candidato ao governo do Rio pela coligação Força do Povo (PR-Pros-PT do B), Anthony Garotinho, fez caminhada nesta quinta-feira (18) no Centro de São Gonçalo, onde reafirmou diversos compromissos com a população do município. O primeiro deles será acabar com a perseguição do Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro) ao transporte alternativo intermunicipal. O ex-governador prometeu também construir dois restaurantes populares,um em Alcântara e outro em Jardim Catarina, e recuperar o Hospital Geral Alberto Torres, construído na gestão dele e abandonado por Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, mesmo que isso signifique ter que “instalar o governo na unidade de saúde”. 
Garotinho foi o primeiro governador do Brasil a criar um decreto para legalizar e normatizar o funcionamento do transporte alternativo. Mas no governo Cabral, os motoristas de vans e kombis não têm liberdade para trabalhar. “Essa perseguição é uma humilhação, uma covardia contra um chefe de família, que precisa sustentar seus filhos. Cabral e Pezão dizem que motorista de van é miliciano. Por ironia, descobriram que o chefe da polícia de Cabral e Pezão é que é miliciano”, atacou o candidato, referindo-se ao coronel Alexandre Fontenelle, terceiro homem na hierarquia da Polícia Militar, acusado de ser o chefe do esquema de corrupção do 14º BPM (Bangu). 
Durante discurso, o candidato reafirmou o compromisso de construir mais dois restaurantes populares no município - Alcântara e Jardim Catarina. A região já conta com duas unidades implantadas em Niterói (Restaurante Popular Jorge Amado) e em Itaboraí (Restaurante Popular Governador Mário Covas), ambas inauguradas em 2002, no governo Garotinho. A proposta do ex-governador é construir 40 unidades no estado do Rio, priorizando o atendimento à população carente e trabalhadora. 
Para o candidato, a saúde será prioridade no seu governo. “Não dá para continuar com o hospital (Alberto Torres) funcionando tão mal. Se for preciso vou fazer uma intervenção na unidade. Em Campos, quando eu era prefeito, precisei instalar a prefeitura, durante uma semana, dentro de um hospital para consegui abri-lo. Prometo a vocês que vou botar o Alberto Torres para funcionar nem que para isso tenha que me mudar pra lá também”, garantiu ele. 
O ex-governador tem ainda como proposta duplicar a Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106) até a Região dos Lagos, entre Maricá e São Pedro da Aldeia, e sem a cobrança de pedágio. Ele foi responsável pela duplicação e modernização de 31 km da via entre Tribobó (São Gonçalo) e Maricá. A rodovia é uma das opções de acesso à Região dos Lagos, sem postos de pedágio, numa alternativa à Via Lagos (RJ-124). Por último, Garotinho prometeu desafogar o trânsito da região com a construção do mergulhão de Alcântara; além de firmar parceria com a Prefeitura de São Gonçalo para asfaltar as ruas de diversos bairros. 
Parabenizado pelos moradores por sua entrevista ao telejornal da Rede Globo, Garotinho explicou que citou que a TV Globo é investigada pela Polícia Federal em inquérito sobre sonegação de impostos para mostrar que “o fato de alguém ser denunciado não quer dizer que ele seja culpado”. Garotinho havia sido questionado sobre um processo na área de saúde, que envolve um ex-secretário do seu governo. O ex-governador defendeu ainda o direito das pessoas mudarem de opinião, como foi o caso da Rede Globo, que apoiou a ditadura militar. “Várias pessoas morreram, outras desapareceram, gente sofrendo até hoje. E, no entanto, a Rede Globo fez uma auto-crítica e reconheceu o erro”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário