sábado, 27 de setembro de 2014

GAROTINHO PROMETE INVESTIR NO SANEAMENTO BÁSICO



Garotinho promete investir no saneamento básico de comunidades da Zona Norte 
Candidato do PR comentou corrupção na cúpula da Polícia Militar e afirmou que corporação vive uma grave crise. 
O candidato ao governo do Rio pela coligação Força do Povo (PR-Pros-PT do B), Anthony Garotinho, percorreu nesta sexta-feira (26), em carreata, diversas comunidades de Cordovil, Parada de Lucas, Vigário Geral e Acari, onde constatou o abandono dessa região da Zona Norte do Rio pelo poder público. O ex-governador prometeu investir prioritariamente no saneamento básico, através da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos), e na segurança da população. 
“O povo aqui está completamente abandonado à própria sorte. As pessoas não podem viver com esgoto na porta de casa ou crianças brincando em valas abertas. Água e esgoto significam saúde. Essa será minha prioridade aqui, além da segurança pública”, anunciou o candidato, que já se comprometeu em impedir a privatização da Cedae e trabalhar para tornar a empresa eficiente. 
O candidato do PR comentou ainda a corrupção na cúpula da Polícia Militar e criticou a postura do governador Luiz Fernando Pezão, que decidiu não demitir o comandante da PM, coronel Luís Castro, apesar das denúncias do Ministério Público. “O comandante-geral foi denunciado e o governador Pezão age como se nem fosse com ele. Isso é uma grande hipocrisia. É uma crise grave que põe por terra a mística de que eles tinham moralizado a polícia. Agora estamos vendo que não é nada disso”, acusou Garotinho, para a quem a corporação vive sua mais grave crise. 
Após a carreata, o ex-governador comentou também a denúncia de favorecimento a um sócio do presidente da Alerj, Paulo Mello, e do presidente regional do PMDB, Jorge Picciani, em contratos milionários com o governo do estado. Segundo denúncia do site da Revista Veja, o empresário Mário Peixoto tem R$ 480 milhões em contratos, alguns sem licitação e a grande maioria com aditivos. Além de sócios, Paulo Mello e Picciani foram padrinhos de casamento, em maio passado, do empresário num castelo na Itália. 
“É mais grave ainda essa denúncia da Veja. Descobrimos também que esse empresário esteve no casamento de Picciani, no Copacabana Palace. Todos esses escândalos estão servindo para mostrar ao povo que estamos diante de uma máfia no Rio, que tem tentáculos empresariais, políticos, econômicos e até no judiciário. Uma máfia poderosa que deixa o povo nessa situação de abandono e miséria enquanto eles celebram seus casamentos em castelos da Itália ou no Copacabana Palace”, condenou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário