VAMOS CONSERTAR O QUE ESTÁ ERRADO NAS UPPs



"JORNAL O DIA 
Garotinho promete mudar política de governo da UPP 
Ex-governador anuncia criação de Secretaria de Defesa Social, em substituição à Secretaria de Segurança Pública, e diz que vai cancelar a concessão do Maraca 
Uma UPP que não será mais UPP, prometeu ontem o candidato Anthony Garotinho (PR) na sabatina promovida pelo SBT e pelo jornal 'Folha de S.Paulo'. Embora tenha dito que não vai acabar com o programa vitrine da dupla Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão (PMDB), suas ideias mudam a política praticada hoje pelo governo. Para começar, disse ele, “não vai haver aviso prévio” para que “bandido fuja” e, sim, “investigação e, depois, prisão”. Depois, prometeu, será o fim das “unidades de latão”, ao se referir aos contêineres usados como base pelos PMs. “Vamos construir Batalhões de Defesa Social”. 
À vontade e falante diante dos jornalistas, Garotinho afirmou que vai acabar com a Secretaria de Segurança Pública, substituindo-a por uma nova, que se chamará Secretaria de Defesa Social, que, segundo disse, terá uma visão “humanista”. “Quero um secretário que não tenha uma visão policialesca”, completou. Ele prometeu ainda reduzir de 19% para 2% o ICMS cobrado das empresas que se instalarem nas comunidades carentes. 
Álvaro Lins, seu ex-chefe da Polícia Civil, condenado a 28 anos de prisão por envolvimento em esquema de corrupção de máquinas caça-níqueis, foi o único tema que o constrangeu. Afirmou, contudo, que não o trataria como “um leproso” se o encontrasse na rua e colocou-se como perseguido das grandes corporações empresariais. 
Comunicador profissional, ele reclamou quando o assessor de imprensa quis encerrar a entrevista após o término da sabatina, tentando apressá-lo para o resto dos compromissos de campanha. “Eles (os repórteres) nunca querem me ouvir e quando eu posso falar você quer me tirar?”, disse, permanecendo ainda por mais 10 minutos. 
Aproveitou o tempo para afirmar que investigará, se eleito, o ex-governador Cabral e o atual, Pezão, seu concorrente na disputa pelo governo do estado, e que, para isso, pedirá auxílio à Polícia Federal e ao Ministério Público. “Não deixarei passar nenhuma denúncia de corrupção”, ameaçou. Procurado, Pezão, via assessoria, afirmou que não iria comentar as declarações de Garotinho. 
Ele também garantiu que vai cancelar a concessão do Maracanã à administração privada e prometeu rever todos os contratos das concessionárias. “Poderei cancelar contrato ou pedir o retorno do investimento. Quero ver também os reajustes das tarifas”, disse, referindo-se à SuperVia e ao Metrô Rio, que, segundo ele, foram beneficiados com a renovação dos contratos. (...)".

Comentários

Postagens mais visitadas