terça-feira, 12 de agosto de 2014

PEZÃO - ESCÂNDALO DA GRÁFICA - CANDIDATURAS DEVEM SER IMPUGNADAS



A situação segue se agravando.
"JORNAL DO BRASIL
"Candidaturas devem ser impugnadas", diz Itagiba sobre denúncia do TRE
Gráfica que fazia material de campanha para coligação do PMDB é alvo de investigação
O ex-secretário e Segurança do Rio e candidato a deputado federal pelo PSDB Marcelo Itagiba defendeu, nesta segunda-feira (11), que os candidatos envolvidos na denúncia do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) a respeito da gráfica Hight Level Signs no Méier, devem ter suas candidaturas impugnadas, caso as suspeitas sejam confirmadas. Para Itagiba, o dono da gráfica também deve responder na esfera criminal, caso as denúncias sejam confirmadas. 
Segundo o TRE, a gráfica mantém contratos com a prefeitura do Rio e o governo estadual, com indícios de participação em esquema de desvio de dinheiro público para elaboração da propaganda de candidatos governistas da coligação PMDB, PP, PSC, PSD e PTB, em especial do ex-chefe da Casa Civil do prefeito Eduardo Paes (PMDB), o candidato a deputado federal Pedro Paulo (PMDB). 
De acordo com o TRE, a empresa produzia material gráfico do candidato à reeleição ao governo estadual Luiz Fernando Pezão (PMDB), a deputado federal Pedro Paulo (PMDB), Leonardo Picciani (PMDB), Sávio Neves (PEN) e Rodrigo Bethlem (PMDB) e a deputado estadual Lucinha (PSDB), Osório (PMDB), Serginho da Pastelaria (PTdoB), André Lazaroni (PMDB) e Rafael Picciani (PMDB). O TRE-RJ encaminhou fotos, gravação, documentos e material irregular de campanha ao Ministério Público Eleitoral e ao Ministério Público Estadual, responsáveis por ajuizar ações nas áreas eleitoral e criminal contra a empresa e os candidatos suspeitos de participar da fraude. Segundo o TRE, a High Level Signs aparecia também como beneficiária em pelo menos onze boletos bancários de pagamento da Secretaria de Estado da Casa Civil, com valor total de R$ 340 mil. 
"Quem presta serviço para a prefeitura e governo não deve poder fazer trabalho político a integrantes do governo. Gera algo que não é desejado, cumplicidade, conivência", disse Itagiba. "Todos esses candidatos que tiverem seu envolvimento comprovado, cujas encomendas na gráfica são superiores aos valores pagos, devem ter suas candidaturas impugnadas", complementou. 
De acordo com o ex-secretário, a prática implica em diversos crimes, como sonegação fiscal, crime eleitoral, abuso de poder econômico na eleição. "É dinheiro não contabilizado em eleição, que não entrou no sistema bancário oficial de campanha", destacou, reforçando: "Estas candidaturas devem ser colocadas sub judice, já que em tese estas pessoas estão sendo investigadas por abuso de poder econômico nas eleições." 
Itagiba também destacou o envolvimento dos donos da gráfica. "Caso a denúncia seja comprovada, eles estão praticando sonegação fiscal, cuja pena é a prisão. É preciso fazer urgentemente uma perícia, que seja divulgada para a população. Além disso, como o caso envolve candidatos a deputado federal, o Supremo Tribunal Federal tem que ser acionado, e um processo de quebra de decoro tem de ser encaminhado na Câmara de Deputados. É preciso que sejam auditados todos os contratos desta empresa com a prefeitura. E também de todas as outras empresas que prestam serviço para a prefeitura e o governo e estejam também sendo contratadas para serviços nas eleições (Leia mais)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário