domingo, 31 de agosto de 2014

HUMANIZAR AS CORREGEDORIAS INTERNAS

 


Eu defendo a ideia de que todo órgão público precisa ser controlado interna e externamente.
O controle externo mais eficiente é o exercido pelos usuários, ou seja, pela população.
O melhor controle interno é o feito por cada servidor público que estiver efetivamente imbuído de que o serviço público tem regras próprias a serem seguidas e que só existe para servir à população.
É o controle exercido pelo servidor que vivencia o problema o caminho mais rápido para a solução dos óbices e para que o serviço possa ser prestado de forma eficiente para o povo.
Não podemos esquecer que é o povo que através dos seus impostos sustenta toda a estrutura estatal.
Diante disso, tenho conversado muito sobre o "Fale Servidor" (Link), denominação inicial de um programa que possa servir como um canal direto entre o servidor e o governo, no caso através da vice-governadoria e sobre mudanças no controle interno.
A aceitação tem sido muito boa, mas quero conversar mais sobre o assunto, ouvir os servidores.
Avançando na ideia do controle interno, os serviços públicos não podem prescindir de um órgão de controle interno, normalmente denominado como corregedoria, isso é uma verdade, mas esses órgãos não podem ser vistos apenas como emanadores de punições para os servidores, urge que sofram mudanças no sentido de humanizá-los para também defender os servidores quando as acusações impostas não forem devidamente comprovadas.
As corregedorias precisam ser os órgãos que tenham por ideal a busca da verdade e não a satisfação dos interesses de comandos mal intencionados, como temos visto.
A mudança é importante inclusive para os servidores que trabalham nesses órgãos, atualmente vistos como "inimigos" do corpo de servidores, um rótulo que acaba os acompanhando até quando deixam a atividade de controle interno.
No momento que a busca da verdade for o norte, os integrantes das corregedorias serão reconhecidos pela importância do serviço que desempenham.
Nós queremos humanizar o serviço público e o caminho é garantir os direitos e as prerrogativas dos servidores.
As corregedorias precisam ser adaptadas a esse novo tempo.

Um comentário: