quarta-feira, 27 de agosto de 2014

GAROTINHO: NO MEU GOVERNO, BANDIDO VAI SER PRESO



"Garotinho: “No meu governo, bandido vai ser preso” 
Candidato do PR criticou governo de Cabral e Pezão por avisar com antecedência sobre operações policiais, permitindo que os criminosos fujam para outras regiões do estado. 
Foto: Inácio Teixeira 
O candidato ao governo do Rio pela coligação Força do Povo (PR-Pros-PT do B), Anthony Garotinho, reafirmou nesta terça-feira (26), durante caminhada em Manilha, no município de Itaboraí, que o governo dele irá investir pesado contra o tráfico de drogas, prendendo os bandidos e acabando com a migração de criminosos do Rio para outras regiões do estado. Garotinho acusou o ex-governador Sérgio Cabral e o atual Luiz Fernando Pezão de darem aviso-prévio a bandido. “Eles avisam que vão ocupar, não prendem e o bandido migra para outra região”, alertou. 
Em seu discurso, Garotinho lembrou que durante o governo dele (1999-2002) foram presos os maiores chefes de quadrilhas no estado, graças ao trabalho de inteligência da Polícia do Rio. Entre eles, o candidato citou Fernandinho Beira-Mar, Marcinho VP e Mythor. Durante a caminhada, o ex-governador conversou com moradores e comerciantes e ouviu a mesma reclamação sobre o aumento da criminalidade na região. “O povo não aguenta mais tanta violência. Os moradores de Itaboraí, Niterói, São Gonçalo, Baixada e ainda das zonas oeste e norte do Rio estão apavorados. Isso tem que acabar. Lugar de bandido é na cadeia”. 
Segundo o candidato do PR, o mesmo governo do PMDB que exportou os bandidos para Itaboraí também fechou o hospital regional, que foi construído e inaugurado por ele em 2001. “Na minha época, esse hospital salvava vidas e era referência na região. Mas Cabral, que não se importa com o povo, decidiu fechá-lo”, disse ele para acrescentar: “Dizer que Cabral não fez nada por Itaboraí é uma injustiça. Ele fez sim, mandou os bandidos pra cá”, ironizou. 
Questionado sobre suas propostas para resolver o problema da alta criminalidade nessas áreas, Garotinho afirmou que é preciso “investigar, prender e depois ocupar as áreas”. E aproveitou para fazer um apelo ao secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame: “Prenda os bandidos, Beltrame. O perfil da Polícia não é dar aviso-prévio a bandido. Tem que prender, assim como fizemos com os maiores traficantes do Rio. É isso que o povo quer”. 
O candidato confirmou ainda que cancelou a agenda prevista para a manhã desta terça-feira no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, por questões de segurança. Ele conversou com as lideranças comunitárias que disseram não haver “clima propício” para campanha eleitoral, uma vez que estavam ocorrendo tiroteios entre a Polícia e os traficantes.
Garotinho estava acompanhado da deputada federal Lilian Sá (Pros), candidata ao Senado; do deputado estadual Altineu Côrtes (PR), candidato à Câmara Federal; e de Nivaldo Mulin (PR), candidato à Assembleia Legislativa. 
E nesta quarta-feira (27) está confirmada a agenda com a presidente Dilma Rousseff no restaurante popular Getúlio Vargas, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Essa unidade foi inaugurada por Garotinho, quando governador, em 2001".

Nenhum comentário:

Postar um comentário