sexta-feira, 15 de agosto de 2014

ATENÇÃO! GUARDAS MUNICIPAIS DO RIO DE JANEIRO - PORTE DE ARMA



Eu transcrevo dois artigos sobre o porte de armas dos Guardas Municipais, sugerindo a eles que leiam e emitam suas opiniões.
Nós precisamos conversar muito sobre esse tema.

1) JORNAL EXTRA
13/08/14 08:38 Atualizado em 13/08/14 08:54
Guarda Municipal do Rio não terá porte de arma, apesar de permissão em estatuto federal
A Guarda Municipal do Rio afirma que vai manter seus servidores sem porte de armas de fogo. A lei que instituiu o Estatuto Geral das Guardas Municipais foi sancionada pela presidente da República, Dilma Rousseff, e a decisão foi publicada em uma edição extraordinária do Diário Oficial da União na segunda-feira. As novas regras garantem o porte de arma e dão a esses profissionais o poder de polícia, com o objetivo que eles tenham o dever de proteger tanto o patrimônio como a vida das pessoas.
Segundo a Guarda Municipal do Rio, a instituição tem como base a Lei Orgânica do município, que veta o uso das armas de fogo. O órgão ainda lembrou que o próprio Estatuto Geral das Guardas Municipais, publicado na última segunda-feira pela presidente, Dilma Rousseff, estabelece que o dirigente de cada Guarda pode suspender o porte de arma, desde que haja uma justificativa.
De acordo com o Estatuto, a guarda municipal deverá ainda colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos. Mediante convênio com órgãos de trânsito estadual ou municipal, poderá até fiscalizar o trânsito e expedir multas. Outra competência será a de encaminhar ao delegado de polícia, diante de flagrante delito, o autor da infração, preservando o local do crime (Leia mais)".

2) PERDIDOS NA INCOERÊNCIA
*Bene Barbosa 
Com grata satisfação, a sociedade brasileira recebeu a notícia que a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 13.022, pulicado no Diário Oficial esta semana. O dispositivo permite o porte de arma de fogo por guardas municipais. 
Tal atitude resguarda a segurança de milhares de profissionais, pois é nítido que suas funções laborais podem comprometer a segurança deles e das respectivas famílias. Ao lidar com situações perigosas no horário do expediente, o guarda municipal se via refém de possíveis ameaças por parte de criminosos. 
Feito os cumprimentos, cabe destacar a incoerência exercida pela Presidência da República. No dia 17 de junho, Dilma vetou o porte de arma aos agentes portuários, concedendo apenas para agentes penitenciários e guardas prisionais. 
A contradição nos permite questionar: a qual linha de raciocínio que o governo segue? A ideológica ou a eleitoreira? Os que trabalham na segurança dos portos teriam a vida menos valiosa que os demais, ou não representam a mesma massa eleitoral formada pelos guardas municipais? 
Esta é a síntese da equivocada segurança pública no Brasil. As autoridades atuais são guiadas por falácias e teses superadas, como o Estatuto do Desarmamento, e esquecem do primordial: proteger todos os cidadãos de bem e trabalhadores brasileiros. 
*Bene Barbosa é bacharel em direito, especialista em Segurança Pública e Presidente da ONG Movimento Viva Brasil. 

4 comentários:

  1. Como pode não sancionar uma lei federal e manter esses homens trabalhando no combate a criminalidade em locais com alto índice de ciminalidade como até a polícia e atacada, e os guardas com pedaço de pau vai conseguir trabalhar? contamos com a sensibilidade do governo.

    ResponderExcluir
  2. ta de sacanagem gm armado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala isso porque nao é vc que sai pra rua pra enfrentar ambulantes e ate criminosos, porque ae um guarda se omitir em prender um ladrao por ter commetido um furto, vc é uns dos primeiro a tirar foto, fimar e mandar pra midia, vai ver é mais um que nao sabe a competencia da gm e quer sempre criticar, estuda mais um pouco, filho! Pra parar de fazer comentarios idiotas que nem esses.

      Excluir
  3. enquanto coroneis comandarem as guardas isso nuca vai acontecer

    ResponderExcluir