ATENÇÃO! GUARDAS MUNICIPAIS DO RIO DE JANEIRO - PORTE DE ARMA



Eu transcrevo dois artigos sobre o porte de armas dos Guardas Municipais, sugerindo a eles que leiam e emitam suas opiniões.
Nós precisamos conversar muito sobre esse tema.

1) JORNAL EXTRA
13/08/14 08:38 Atualizado em 13/08/14 08:54
Guarda Municipal do Rio não terá porte de arma, apesar de permissão em estatuto federal
A Guarda Municipal do Rio afirma que vai manter seus servidores sem porte de armas de fogo. A lei que instituiu o Estatuto Geral das Guardas Municipais foi sancionada pela presidente da República, Dilma Rousseff, e a decisão foi publicada em uma edição extraordinária do Diário Oficial da União na segunda-feira. As novas regras garantem o porte de arma e dão a esses profissionais o poder de polícia, com o objetivo que eles tenham o dever de proteger tanto o patrimônio como a vida das pessoas.
Segundo a Guarda Municipal do Rio, a instituição tem como base a Lei Orgânica do município, que veta o uso das armas de fogo. O órgão ainda lembrou que o próprio Estatuto Geral das Guardas Municipais, publicado na última segunda-feira pela presidente, Dilma Rousseff, estabelece que o dirigente de cada Guarda pode suspender o porte de arma, desde que haja uma justificativa.
De acordo com o Estatuto, a guarda municipal deverá ainda colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos. Mediante convênio com órgãos de trânsito estadual ou municipal, poderá até fiscalizar o trânsito e expedir multas. Outra competência será a de encaminhar ao delegado de polícia, diante de flagrante delito, o autor da infração, preservando o local do crime (Leia mais)".

2) PERDIDOS NA INCOERÊNCIA
*Bene Barbosa 
Com grata satisfação, a sociedade brasileira recebeu a notícia que a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 13.022, pulicado no Diário Oficial esta semana. O dispositivo permite o porte de arma de fogo por guardas municipais. 
Tal atitude resguarda a segurança de milhares de profissionais, pois é nítido que suas funções laborais podem comprometer a segurança deles e das respectivas famílias. Ao lidar com situações perigosas no horário do expediente, o guarda municipal se via refém de possíveis ameaças por parte de criminosos. 
Feito os cumprimentos, cabe destacar a incoerência exercida pela Presidência da República. No dia 17 de junho, Dilma vetou o porte de arma aos agentes portuários, concedendo apenas para agentes penitenciários e guardas prisionais. 
A contradição nos permite questionar: a qual linha de raciocínio que o governo segue? A ideológica ou a eleitoreira? Os que trabalham na segurança dos portos teriam a vida menos valiosa que os demais, ou não representam a mesma massa eleitoral formada pelos guardas municipais? 
Esta é a síntese da equivocada segurança pública no Brasil. As autoridades atuais são guiadas por falácias e teses superadas, como o Estatuto do Desarmamento, e esquecem do primordial: proteger todos os cidadãos de bem e trabalhadores brasileiros. 
*Bene Barbosa é bacharel em direito, especialista em Segurança Pública e Presidente da ONG Movimento Viva Brasil. 

Comentários

  1. Como pode não sancionar uma lei federal e manter esses homens trabalhando no combate a criminalidade em locais com alto índice de ciminalidade como até a polícia e atacada, e os guardas com pedaço de pau vai conseguir trabalhar? contamos com a sensibilidade do governo.

    ResponderExcluir
  2. ta de sacanagem gm armado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala isso porque nao é vc que sai pra rua pra enfrentar ambulantes e ate criminosos, porque ae um guarda se omitir em prender um ladrao por ter commetido um furto, vc é uns dos primeiro a tirar foto, fimar e mandar pra midia, vai ver é mais um que nao sabe a competencia da gm e quer sempre criticar, estuda mais um pouco, filho! Pra parar de fazer comentarios idiotas que nem esses.

      Excluir
  3. enquanto coroneis comandarem as guardas isso nuca vai acontecer

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas