O PRIMEIRO PASSO: OUVIR O FUNCIONALISMO



Eu comecei a participar de mobilizações por melhores salários e por adequadas condições de trabalho em 2007 e ao longo desses anos participei não só de atos dos Bombeiros e dos Policiais Militares, estive presente em atos de algumas categorias do funcionalismo estadual e municipal, além de movimentos de outras categorias.

Posso dizer que conheço muito bem os anseios dos Bombeiros e conheço bem as mudanças desejadas pelos Policiais Militares, assim como, pelos profissionais da saúde e da educação pública, mas preciso conhecer as reivindicações de todas as categorias do funcionalismo.

Afinal, quem pretende colaborar na resolução dos inúmeros problemas do funcionalismo, deve conhecê-los em profundidade, caso contrário, corre o risco de lutar por objetivos que não integram as prioridades dos funcionários.

Não tenho dúvida, o meu primeiro passo é ouvir o funcionalismo e vou trabalhar com esse objetivo.

No exercício das funções de vereador ampliei o conhecimento sobre o funcionalismo, mas preciso estreitar as relações que possuo com algumas categorias e começar a conversar com os representantes das categorias com as quais ainda não tive o contato necessário.

Eu vou buscar essa aproximação com todo o funcionalismo, um movimento que precisa ser de mão dupla para que os objetivos comuns sejam alcançados.

Não é o momento de construir muros e sim de construir pontes.

A foto é do ato realizado em apoio aos Bombeiros Militares, quando cerca de 50.000 pessoas se reuniram na orla de Copacabana, tenho certeza que ela simboliza a união que alcançamos naquele dia envolvendo o funcionalismo e a população, nós podemos repetir e multiplicar por várias vezes essa força para mudar as relações entre o governo e os funcionários públicos.