sábado, 14 de junho de 2014

UPP: UMA POLÍTICA DE "ADESTRAMENTO" QUE DEIXA DE LADO A INTEGRAÇÃO


"JORNAL DO BRASIL
Hoje às 06h47
UPP: uma política de 'adestramento' que deixa de lado a integração
Quase seis anos após a primeira unidade, moradores reivindicam melhorias sociais prometidas
Desde novembro de 2008, quando foi instalada a primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Rio de Janeiro, na Favela Santa Marta, em Botafogo, outras 37 comunidades foram ocupadas em diferentes áreas da cidade. O governo enaltece que as UPPs têm o papel de retomar locais até então dominados por facções criminosas, mas o que se vê na realidade é que esta "pacificação" não se concretiza. Pelo contrário, moradores se vêem obrigados a conviver com a forte repressão policial e com a constante troca de tiros. Oprimida, a população sofre com uma política que parece muito mais voltada para o "adestramento" - na qual a repressão policial é a única ação efetiva do Estado - do que para a integração entre a favela e o chamado "asfalto".
A integração deveria estar a cargo da chamada UPP Social - programa que, no papel, tem o objetivo de promover a cidadania, o desenvolvimento urbano, social e econômico e efetivar a integração ao conjunto da cidade. Entretanto, a população destes locais continua a reivindicar investimentos na educação, saúde e serviços como iluminação pública e saneamento básico, que não chegaram em massa às favelas da mesma forma que o aparato policial (Leia mais)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário