quarta-feira, 7 de maio de 2014

EX-DIRETOR DA PETROBRAS PODE SOLTAR UMA "BOMBA"



O ex-diretor da Petrobras pode vazar informações que comprometeriam grandes empresários do Brasil.
Paulo Roberto Costa pode vazar as informações para deputados.
O noticiário da conta que a Polícia Federal teria em seu poder 36 pen drives de Paulo Roberto Costa onde estariam informações importantes sobre os negócios que atuou na estatal.
O povo brasileiro espera que tudo se torne público e que se existir qualquer indício de crime que as investigações não poupem ninguém.
Lembro que a base governista da presidente Dilma Rousseff está tentando retardar o início da CPMI da Petrobras no Congresso.
Investigar é preciso.
"JORNAL DO BRASIL 
06/05 às 13h23 - Atualizada em 06/05 às 15h37 
As empreiteiras e a suposta "bomba" prestes a explodir
Sites jornalísticos divulgam nesta terça-feira (6) uma grave notícia dando conta de que as maiores empreiteiras do País estariam com comitês de crise montados à espera do vazamento de supostas informações que poderiam comprometer grandes executivos. A fonte do vazamento seria o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que teria 36 pen drives em poder da Polícia Federal nos quais fez anotações detalhadas sobre os negócios em que atuou na estatal. Há a expectativa de que Costa vaze informações para deputados de uma comissão externa da Câmara dos Deputados, que pretende ir até o Paraná para ouvi-lo. 
De acordo com o site 247, o ex-ministro Marcio Thomaz Bastos está advogando para a Camargo Corrêa, empreiteira mais atingida pela Operação Lava Jato. O 247 afirma que Bastos "avisou os sócios da companhia que o material em poder da PF é absolutamente explosivo", e que a "empresa já se prepara para enfrentar o pior." 
Marcio Thomaz Bastos que, segundo o site 247, defende a Camargo Corrêa, é conhecido como advogado das grandes crises, que envolvem basicamente políticos e supostos criminosos do sistema financeiro. Bastos já atuou como advogado de acusação no julgamento dos assassinos do seringueiro Chico Mendes e teve como clientes o senador Antonio Carlos Magalhães, o contraventor Carlinhos Cachoeira (deixou de defendê-lo em 2012), o banqueiro Angelo Calmon de Sá, o médico Roger Abdelmassih, entre outras grandes causas. 
Se for verdade as afirmações do site 247, não há dúvidas de que o ex-ministro Marcio Thomaz Bastos dá a seus clientes tranquilidade na defesa pela vasta experiência e pelo grande prestígio que construiu em algumas esferas do poder judiciário e algumas áreas do setor policial (Fonte)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário