sábado, 3 de maio de 2014

A DESMOTIVAÇÃO DA TROPA DO CORPO DE BOMBEIROS E DA POLÍCIA MILITAR



Não vou perder o meu e o seu tempo, explicando a necessidade da motivação para o bom desempenho de tarefas, nós temos plena consciência da relação que existe entre motivação e produtividade, isso é um conhecimento básico em gestão de pessoal.
Infelizmente, o governo do estado do Rio de Janeiro parece desconhecer por completo a importância da motivação, pois adota ações que produzem o efeito contrário e espera obter bons resultados com essa prática equivocada, algo improvável.
Eu sou Bombeiro Militar e vivenciei a prática desse erro grosseiro, isso várias vezes.
O governo Pezão, diante do caos que se instalou no estado em termos de insegurança, repete o erro e manda suspender as férias dos Policiais Militares para que eles sejam escalados no RAS (serviço extra remunerado) de forma compulsória, isso a partir de segunda-feira, dia 5 de maio.
A medida foi apresentada e está sendo divulgada pela imprensa como uma resposta contra o aumento da violência.
"REVISTA VEJA
Rio de Janeiro
Para conter onda de assaltos, Rio corta folgas de policiais
Secretaria de Segurança antecipa esquema de policiamento da Copa do Mundo.
A partir desta segunda-feira, PMs serão obrigados a trabalhar no dia de folga (Fonte)".
Ao antecipar o regime de escalas a ser implantado por ocasião da Copa do Mundo, Pezão e Beltrame ampliaram o período de sacrifício dos Policiais Militares.
Os PMs serão submetidos a uma escala extremamente desgastante antes e durante a Copa, um período muito longo.
Pergunto:
- Os Policiais Militares trabalharão na folga com a necessária motivação?
- Os Policiais Militares desmotivados terão a produtividade esperada?
- Qual será o estado físico e emocional da tropa da Polícia Militar na Copa após um mês de desgaste contínuo?
A folga não é unicamente um direito, a folga é uma necessidade orgânica para a manutenção do equilíbrio emocional e da capacidade física.
É um risco muito grande ter homens e mulheres cansados e estressados fazendo uso de fuzis e de pistolas, todos devem concordar.
É bom lembrar disso caso um Policial Militar, após ser submetido a tais condições adversas, erre ao efetuar um disparo de arma de fogo.
O pior dessa equação é que a medida que sacrificará os Policiais Militares foi adotada pelo governo em face dos erros de gestão do próprio governo Cabral-Pezão.
Não podemos esquecer que para ser reeleito esse governo decidiu colocar 10.000 Policiais Militares nas comunidades carentes, sem o indispensável planejamento, diminuindo o efetivo dos batalhões operacionais e prejudicando o policiamento ostensivo nas ruas, ou seja, a ação preventiva contra a prática de crimes.
Sinceramente, parece que só o governo do Rio de Janeiro não sabia que jogos da Copa do Mundo seriam realizados no estado.
Foto: Pâmela Oliveira

Um comentário:

  1. Chega a ser ridículo o que vem acontecendo.Segurança Nota zero.

    ResponderExcluir