quarta-feira, 2 de abril de 2014

UM RETRATO DO DESCASO COM A EDUCAÇÃO NO BRASIL


O descaso dos três níveis de governo com a educação não é novidade para ninguém. Uma falta de compromisso que fica materializada a cada avaliação que é feita sobre a educação no Brasil, sobretudo quando ocorre através da comparação com outros países.
O mais recente fracasso ocorreu no Pisa do ano passado, uma testagem que visa avaliar a capacidade dos alunos para ter um raciocínio lógico para solucionar problemas do cotidiano.
O Brasil ficou em 38º lugar entre 44 países participantes.
Eu tenho insistido que sem uma educação pública de boa qualidade o brasileiro fica apartado da própria cidadania, em face de não conseguir interiorizar os direitos e os deveres próprios do cidadão pleno.
Isso é cruel não só para o indivíduo, sendo também trágico para o país, principalmente quando esse meio cidadão é responsável por escolher os seus representantes para dirigir os destinos nacionais.
Incontáveis vozes já se levantaram no Brasil para denunciar que o desgaso dos governantes com a educação pública é um caso pensado, pois para eles quanto menos esclarecido for o brasileiro, mas fácil de ser manipulado, algo que eles fazem através do maciço gasto de dinheiro público nas propagandas feitas através da imprensa.
Eu integro esse grupo que denuncia, pois nada explica o fato do Brasil, sistematicamente, não investir na educação pública, por exemplo, não valorizando o profissional da educação.
No Brasil os profissionais da educação só conseguem reajustes arrancados através de mobilizações nas ruas, como ocorreu recentemente em São Gonçalo, onde os professores conseguiram um pequeno reajuste (Fonte: A Tribuna).
A continuidade desse processo de não priorizar a educação está transformando o nosso Brasil no país dos analfabetos funcionais, brasileiros que sabem assinar o nome e sabem ler, mas são incapazes de interpretar o que estão lendo e que acabam formando opinião pelo contido nas manchetes dos jornais e das revistas ou pelo que ouvem no rádio e na televisão.
Quem perde a capacidade de interpretar, perde também a capacidade de distinguir entre o que é bom e o que é ruim, terminando por votar no que parece bom para si e para seus familiares, embora não seja.
O analfabeto funcional é presa fácil para os maus governantes e para a imprensa aliada desses governantes, os quais são ela os seus melhores clientes, pois investem milhões, alguns governantes até bilhões em propaganda governamental.
Por um fim nesse descaso é uma missão para todos e para todas.
Cabe a cada um de nós escrever um novo futuro para o Brasil.
É hora de unir forças com os profissionais da educação do Brasil para mudar essa verdadeira tragédia que está destruindo a nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário