RIO: O SUCESSO DAS MOBILIZAÇÕES DOS BOMBEIROS E DOS GARIS



Eu tenho escrito com uma frequência que pode ser até considerada exagerada por alguns sobre a necessidade dos protestos serem organizados, contínuos, ordeiros e pacíficos para que os objetivos sejam alcançados. Digo que alguns podem considerar as recomendações desnecessárias, tendo em vista que tais recomendações são desnecessárias, pois fora desses parâmetros os protestos acabam virando desordem, portanto, contrariam a legislação e devem ser coibidos. Entretanto, não faço essas lembranças apenas em razão da legalidade dos atos, mas também para que possam ser efetivos na conquista de vitórias, como demonstraram recentemente os garis.
Sim, em alguns momentos os garis interromperam o trânsito, o que foge dos parâmetros citados, mas eles utilizaram de um deles muito bem, o que considero de maior importância para dobrar os maus governantes: a continuidade.
Nenhum político suporta um desgaste diário nas ruas e na imprensa, eis a regra.
Quem não lembra da histórica mobilização do Bombeiros?
O forte foi a continuidade.
O movimento não parou.
A continuidade deu a vitória aos garis e deu antes aos Bombeiros que trouxeram com eles os Policiais Militares, os Policiais Civis e os Agentes Penitenciários, categorias que alcançaram também vitórias.
Assim como os garis, os Bombeiros também praticaram alguns excessos, mas foram sempre pacíficos e deram continuidade as mobilizações, mesmo após prisões arbitrárias. 
Os garis não pararam nem com as demissões, situação que ocorreu com os Bombeiros e os Policiais Militares, algo que só foi solucionado com a anistia.
Bombeiros e Policiais Militares ficaram meses e meses sem salário, excluídos de suas corporações.
Organizados, ordeiros, pacíficos e contínuos, assim devem ser os protestos.
No Rio de Janeiro, ano passado, centenas de milhares foram às ruas. Certo dia, ocuparam por completo a Avenida Presidente Vargas, mas a mobilização parou, faltou o cumprimento dos parâmetros.
Os Bombeiros ensinaram e os garis aperfeiçoaram.
Aprendam!
É o "Juntos Somos Fortes!" crescendo no Rio de Janeiro.
É o momento da população e do funcionalismo público aprenderem as lições, isso para que não se repitam os erros do ano passado e para que os objetivos constantes na pauta de reivindicações sejam alcançados por todos.