REVISTA ÉPOCA REVELA ESCÂNDALO ENVOLVENDO ALIADOS DE SÉRGIO CABRAL



O governador Sérgio Cabral lidera o grupo dos políticos mais odiados do Brasil, como revelam as pesquisas sobre rejeição popular. 
As menções ao ódio contra o governador ocorrem em todos os protestos que são realizados no Rio de Janeiro. Não importa qual seja a motivação, lá está presente o "Fora Cabral".
Cabral é o único responsável pelo sentimento que despertou no seio da população fluminense, uma antipatia solidificada a cada ação desastrosa do seu governo, sobretudo na gestão dos serviços públicos essenciais como a segurança, a educação, a saúde e os transportes.
Ele errou onde colocou a mal, pois nunca se preocupou em ouvir a população.
Na Rocinha e no Alemão, por exemplo, onde existem problemas gravíssimos inclusive de saneamento básico, ele implantou (Alemão) e quer implantar (Rocinha) um teleférico.
Surdo para as vozes do povo, Cabral se perdeu na vaidade, na sensação de ser o todo poderoso, o que tudo podia fazer.
Sim, quem deveria impor freios não o fez. Nem a ALERJ, nem o Ministério Público e nem o Poder Judiciário colocaram os obstáculos para detê-lo.
Ele fez coisas inimagináveis, como a prisão ilegal de Bombeiros e Policiais Militares em Bangu 1, uma afronta aos direitos e às prerrogativas dos militares estaduais.
Cabral cavou sua cova política, isso é fato.
Não faltarão inimigos políticos para jogarem uma pá de cal.
Pior, os escândalos continuam explodindo no seu governo.
A Revista Época publica nessa semana uma grande matéria, um novo grande escândalo envolvendo aliados do seu governo (Leiam).
Sérgio Cabral sairá do Palácio Guanabara pela porta dos fundos e deve agradecer por não ter se concretizado o contido na música dos profissionais da educação, cantada em todo protesto contra o governo Cabral.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas