PRIMEIRO OS ROYALTIES, AGORA OS RECURSOS HÍDRICOS


Os interesses da população do estado do Rio de Janeiro precisam ser defendidos.
Primeiro o alvo foram os recursos provenientes dos royalties do petróleo e os recursos hídricos são a meta do momento.
Cabe ao governo Cabral e aos políticos fluminense desenvolverem as ações necessárias para que a população não seja penalizada.
Os nossos recursos hídricos são indispensáveis para a produção agropecuária.
"O GLOBO
Captação do Paraíba do Sul afetará 23 municípios do Rio
Cidades respondem por 40% da produção agropecuária do estado
FÁBIO VASCONCELLOS 
Publicado: 21/03/14 - 21h53 Atualizado: 21/03/14 - 22h29
RIO — A possível captação de águas do Rio Paraíba do Sul, como propõe o governo de São Paulo, afetará 23 municípios do Rio de Janeiro onde estão concentradas a produção agrícola e pecuária do estado, segundo a Secretaria estadual de Agricultura. Esse grupo de cidades participa anualmente com cerca de 40% (R$ 890 milhões) do PIB do setor de agropecuária do Rio.
O peso do Paraíba do Sul no abastecimento dessas cidades pode ser identificado num estudo contratado pelo Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Ceivap) e que ainda não foi divulgado. Dados preliminares obtidos pelo GLOBO revelam que a vazão média do rio é de 53 m³/s. Desse total, 44 m³/s (82%) são destinados ao Rio, São Paulo e Minas Gerais para o uso em irrigação, e 1,5 m³/s para o consumo animal. No caso da irrigação, a participação do Rio chega 67% (Leiam mais)".