GOVERNO CABRAL DÁ CALOTE NOS PMs



Eu comentei esse problema várias vezes no blog.
Hoje não preciso escrever para esclarecê-los sobre a gravidade da situação do RAS e do PROEIS, basta que leiam essa matéria que contém detalhes das dificuldades experimentadas pelos PMs.
"UOL NOTÍCIAS 
PMs ainda não receberam hora extra da passagem do papa Francisco pelo Rio
Maria Luísa de Melo 
Do UOL, no Rio 28/02/201412h21 
Durante a visita do papa, os PMs acompanharam protestos contra os gastos com a Jornada Mundial da Juventude Milhares de policiais militares do Rio de Janeiro estão desde novembro do ano passado sem receber as horas extras feitas pelo RAS (Regime Adicional de Serviços) ou Proeis (Programa Estadual de Integração na Segurança) --programas que usam a mão de obra dos PMs em dias de folga para a segurança de eventos como Carnaval, jogos de futebol e manifestações. Em novembro de 2013, deveria ter sido feito o pagamento aos policiais que trabalharam durante a passagem do papa Francisco pelo Rio de Janeiro, mas muitos ainda não receberam. 
Alguns PMs também são deslocados para fazer segurança de empresas privadas ou órgãos públicos, como das concessionárias Light e Linha Amarela S/A, das secretarias estaduais de Turismo e Educação e da Secretaria Municipal de Transportes. 
De acordo com informações da Polícia Militar, dos 46.981 homens da corporação, 11.660 estão inscritos nos dois programas (6.447 no RAS e 5.213 no Proeis). A diferença entre eles é que, no primeiro, o serviço de segurança-extra é prestado para a própria PM. Já no segundo, o serviço é feito para empresas e secretarias, por meio de convênios. Em ambos os casos, os praças recebem R$ 150 a cada oito horas trabalhadas durante as folgas. É o chamado "bico oficial (Leiam mais)".