ASSASSINATO DE POLICIAIS MILITARES - CABRAL FAZ DECLARAÇÃO POUCO CONFIÁVEL



A população do Rio de Janeiro vivencia uma tragédia: o assassinato de 11 (onze) PMs que estavam de serviço nas UPPs.
A morte de um policial em serviço já coloca sob suspeição a gestão da segurança pública em qualquer lugar, pois embora exista o risco de morte na atividade policial, ele é minimizado pelo treinamento, pelos uso dos equipamentos de proteção individual adequados e pelo planejamento eficiente das ações de segurança pública.
Diante dessas verdades, a morte de 11 (onze) Policiais Militares em serviço aniquila a gestão da segurança e faz com que se exija mudança no planejamento e nos gestores.
Nesse quadro trágico, o governador Sérgio Cabral saiu ontem com uma novidade que devemos analisar com muita cautela, pois está mais do que evidente que o principal componente da equação que produziu as 11 (onze) mortes foram os erros na implantação do projeto, portanto, ele pode estar querendo criar um fato para tirar a responsabilidade dos seus ombros e de seus prepostos.
Segundo o site G1:
"Plano criminoso
O governador do Rio, Sérgio Cabral, afirmou pela manhã que há um plano para exterminar agentes da segurança pública, ao comentar os recentes ataques às UPPs. As declarações foram feitas durante inauguração da estação do metrô Uruguai, na Zona Norte.
"Eu não tenho dúvidas de que há uma ação de criminosos querendo cruelmente matar e assassinar policiais do Rio de Janeiro", disse (Fonte).
Sinceramente, eu não aceito isso como uma verdade.
Só serei convencido quando o governo apresentar provas a respeito dessa alegação.
Por enquanto, eu credito a morte dos 11 (onze) Policiais Militares a desastrada gestão da segurança pública no Rio de Janeiro, essa sim uma verdade inquestionável.
Foto: Secretário Beltrame participando de um baile de debutantes em uma "comunidade pacificada".