sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

RIO: VIOLÊNCIA NAS "BARBAS" DE BELTRAME



Para quem não sabe a Secretaria de Segurança Pública funciona no prédio da Central do Brasil, portanto, toda a violência que ocorreu ontem aconteceu nas "barbas" do secretário de segurança, o delegado da Polícia Federal Beltrame, um completo absurdo, uma clara expressão da má gestão da área de segurança pública.
Mais uma vez, um protesto começa pacifico e termina em desordem no Rio de Janeiro, dessa vez tendo como resultado um cinegrafista gravemente ferido.
A Secretaria de Segurança tem uma dificuldade insuperável para aprender como atuar nos protestos, cometendo erros protesto após protesto, demonstrando que usa o método do ensaio e erro, isso na tentativa de acertar.
Embora seja o gestor das Polícias Militar e Civil por mais de sete anos, o secretário demonstra que não sabe como lidar com o controle de distúrbios civis, ainda não aprendeu.
Quem sofre com isso é a população como um todo e as pessoas que se propuseram a participar de um protesto ordeiro e pacífico, as quais acabam ficando entre dois fogos, as bombas dos grupos desordeiros e as bombas lançadas pela Polícia Militar.
Urge que o governador Sérgio Cabral assuma que a gestão da segurança pública está sem rumo, como comprova a violência nossa de cada dia, isso o mais rápido possível, pois a tendência é o agravamento da crise.
Rogo pela recuperação do cinegrafista.
"O GLOBO
Estado de saúde de cinegrafista ferido durante protesto é grave
Santiago Ilídio teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha
Ele passou por uma neurocirurgia e está internado no CTI
7 de fevereiro de 2014
CÉLIA COSTA
RIO - O estado de saúde do cinegrafista da Bandeirantes Santiago Ilídio Andrade, que foi atingido por um explosivo durante um protesto contra o reajuste das passagens na Central do Brasil, é muito grave, segundo a Secretaria municipal de Saúde informou na manhã desta sexta-feira. Santiago está internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro. Ele chegou á unidade hospitalar em coma e foi submetido a uma neurocirurgia. O cinegrafista teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda. A operação terminou por volta de meia-noite e meia e teve duração de quatro horas. 
O protesto, que começou pacífico na tarde desta quinta-feira, se transformou num confronto entre manifestantes e policiais na Central do Brasil, com cenas de vandalismo dentro e fora da estação de trens. Policiais atiraram bombas de gás e de efeito moral contra o grupo de aproximadamente 800 pessoas, que reagiu lançando artefatos (Leia mais).
Foto: O Globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário