segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

PACIFICAÇÃO: "TODA UPP FUGIU DOS BANDIDOS"



A matéria que transcrevo a seguir contém um dado assustador diante do discurso governamental de que está em curso no Rio de Janeiro um processo de pacificação das comunidades dominadas pelos traficantes de drogas: "toda UPP fugiu dos bandidos".
A fala é atribuída a um comerciante da comunidade da Camarista Méier que teve seus estabelecimento comercial destruído por um incêndio que começou em três ônibus igualmente incendiados durante o protesto.
Diante do assombro provocado por tal afirmativa, ou seja, a fuga dos Policiais Militares da UPP instalada na comunidade, temos que fazer algumas reflexões, considerando que os PMs do Rio de Janeiro demonstram a sua coragem diuturnamente, cumprindo as suas missões mesmo com o risco das próprias vidas. 
Não creio que os PMs que trabalham nas UPPs sejam diferentes dos que se arriscam nas ruas, embora o governo os tenha apresentado para a população e para a imprensa como uma parcela diferenciada do contingente da Polícia Militar, um grupo seleto que não tinha os vícios dos mais antigos, como o envolvimento com a corrupção e a prática de violência. Uma falácia que foi logo desmentida pelos casos de excessos praticados em comunidades com UPPs e de envolvimento com o tráfico de drogas, amplamente noticiados.
De volta ao caso específico, a matéria revela que uma base foi destruída e que PMs do 3º BPM e de outras Unidades Operacionais se deslocaram para a comunidade, logo fica claro que os PMs da UPP não tiveram condições de conter os atos de vandalismo contra o patrimônio público e particular.
O recuo, caso tenha ocorrido, pode ter sido o único modo dos PMs preservarem as suas vidas. Não podemos esquecer que exatamente nas UPPs temos o maior número de PMs assassinados em serviço, como também não podemos esquecer que nas UPPs as condições de trabalho são precárias..
A Polícia Militar irá instaurar uma investigação para apurar o que aconteceu na comunidade pacificada da Camarista Méier e terá que ter um cuidado especial dando ampla divulgação para os resultados obtidos, tendo em vista que a propalada pacificação do governador Sérgio Cabral foi completamente aniquilada pela frase do comerciante:
- Toda UPP fugiu dos bandidos.
É hora da Secretaria de Segurança Pública dar explicações convincentes, caso contrário, imagens como a do Secretário Beltrame em um Baile de Debutantes realizado em uma comunidade pacificada (foto), entrarão para a história como mais uma manipulação política da opinião pública, tendo o apoio de parte da imprensa.
"JORNAL O GLOBO
Contêiner da UPP Camarista Méier é destruído após protesto de moradores no Lins
Três ônibus foram queimados e a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá teve trânsito interrompido nos dois sentidos por 6h
RIO - Um contêiner da UPP Camarista Méier, na Zona Norte do Rio, foi destruído após a manifestação de moradores do Complexo do Lins, na madrugada desta segunda-feira. As informações são do telejornal "Bom Dia Rio". O protesto terminou com três ônibus queimados e moradores sem luz na região. Os manifestantes fecharam os dois sentidos da Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá por seis horas. A ato aconteceu após uma troca de tiros entre policiais e criminosos no Complexo do Lins. Um carro da Polícia Militar também foi depredado.
O mercadinho Amor e Esperança também foi queimado durante o protesto. Os moradores evitam comentar a destruição do estabelecimento, que fica na Rua Vilela Tavares, no acesso ao Morro do Gambá. O mercado foi atingido pelas chamas de um dos três ônibus incendiados após um protesto. Walter Pinto, um dos donos, reclamou da atuação dos bombeiros que não foram combater o incêndio e cobrou explicação dos governantes.
— Quem vai pagar o prejuízo? Eu perdi a minha loja. Fiquei das 22h às 3h esperando os bombeiros, mas eles falaram que era área de risco e que não poderiam vir combater o fogo. Não adianta nada esse monte de policiais de manhã. Quando precisamos eles não estavam aqui. Toda a UPP fugiu dos bandidos — reclamou o comerciante (Leiam mais)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário