segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O RIO INSEGURO: NOMEADO O QUARTO CHEFE DA POLÍCIA CIVIL NO GOVERNO CABRAL


 
A insegurança pública é uma realidade cada vez mais presente no estado do Rio de Janeiro.
A população está acuada, refém do medo, enquanto Policiais Militares são assassinados em áreas "pacificadas" quando estavam trabalhando nas famosas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).
A tragédia da insegurança que vivenciamos diariamente é o resultado da má gestão na área da segurança pública e da teimosia do governador Sérgio Cabral (PMDB) em insistir na manutenção do secretário de segurança Beltrame, ao longo dos seus sete anos de governo.
Eu sempre ouvi que Beltrame foi imposto ao governador, sendo esse o motivo de Cabral não ter poderes para exonerá-lo. Verdade ou mentira, talvez nunca saberemos, mas a permanência do secretário diante do caos que se instalou constitui um indício que o boato pode ter um fundo de verdade.
Nesses sete anos, motivos não faltaram para Cabral exonerar Beltrame, mas ele sempre preferiu exonerar Comandantes Gerais da Polícia Militar e Chefes da Polícia Civil, jogando a culpa no escalão imediatamente inferior ao do secretário.
Na PMERJ foram nomeados cinco Comandantes Gerais e na PCERJ acabou de ser nomeado o quarto Chefe, sendo que dessa vez a substituição se deu em razão da Chefe anterior ter solicitado exoneração para investir na carreira política.
Se os votos forem proporcionais aos sucessos alcançados na gestão da Polícia Civil, certamente, ela não será eleita.
Enquanto a dança das cadeiras segue nas Polícias Militar e Civil, Beltrame segue firme na sua cadeira instalada no prédio da Central do Brasil, cercado por atividades criminosas que infestam a região.
O governo Sérgio Cabral foi um completo fracasso na gestão da segurança pública. Investiu só na Capital. O projeto das UPPs foi um sucesso na propaganda política, mas não pacificou absolutamente nada. Transferiu traficantes da Capital para outros municípios. Agigantou e desqualificou a tropa da Polícia Militar. Instituiu gratificações e premiações que ferem a hierarquia e que prejudicam enormemente os inativos das Polícias Militar e Civil.
A maior prova do fracasso da dupla Cabral-Beltrame é o que assistimos em cada enterro de policial.
A população conta os dias para se livrar dessa dupla.
Desejo sucesso ao Delegado Fernando Veloso, novo Chefe da PCERJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário