sábado, 15 de fevereiro de 2014

O GOVERNO ESTÁ PREOCUPADO COM A LEI DE PROTEÇÃO AOS POLICIAIS?



Nas nossas mentes e corações ainda repercutem as imagens do assassinato do cinegrafista Santiago Andrade da Rede Bandeirante, sem dúvida uma tragédia.
Naturalmente, sem fazer qualquer crítica à divulgação, o assassinato só ganhou o gigantesco destaque na imprensa em razão de ser um integrante da própria imprensa, pois assassinatos no Rio de Janeiro ocorrem a todo momento e em qualquer lugar, vale destacar.
O governo se mostra preocupado em criar uma lei de proteção aos jornalistas, obviamente, o governo quer ser simpático à poderosa imprensa, mas devo lamentar que não percebo essa mesma vontade do governo para criar uma lei de proteção para os Policiais Federais, Civis e Militares, infelizmente, eles que são assinados em serviço e de folga com uma frequência assustadora.
Sim, devemos reguardar o trabalho dos jornalistas, mas não podemos esquecer dos policiais.
"INFONET
14/02/2014 - 16:29
Governo quer urgência para lei de proteção a jornalistas Projeto de lei será encaminhado na próxima semana ao Congresso
O projeto de lei que trata da regulamentação das manifestações que tem o objetivo de também promover segurança a jornalistas no exercício profissional e sanções para manifestantes que incitarem a violência deverá ser encaminhado ao Congresso Nacional pelo Governo Federal na próxima semana, em regime de urgência, segundo informou o ministro José Eduardo Cardozo, da Justiça, que está em Aracaju participando da LIII reunião ordinária do Conselho Nacional de Segurança Pública.
Neste encontro com os secretários de segurança pública, o ministro discutiu também parâmetros para a padronização de procedimentos para a polícia no país e, aos jornalistas, informou que o governo ouvirá os representantes do Conselho Nacional de Segurança Pública. Mas nestes primeiros debates com a cúpula da SSP do país observou divergências quanto à iniciativa de se criar lei específica para regulamentar o direito à manifestação.
“Há divergência, mas há a proposta foi bem acolhida”, informou o ministro, observando que há segmentos na segurança pública que não veem necessidade de criação de uma nova legislação para tratar da questão.“A maior parte dos secretários opinou pela necessidade de nova lei, com ênfase e dimensões diferentes. Ficamos de receber subsídios outros para a elaboração deste texto, que tem o objetivo de assegurar o direito à liberdade de manifestação e de não aceitar transgressões e ilícitos que ocorreram a pretexto do exercício deste direito e, ao mesmo tempo, fazendo que não se admitam nem se tolere atos de vandalismo, atos inaceitáveis que acabem atingindo pessoas, seja causando lesões e até mesmo propiciando mortes como lamentavelmente vimos no caso do jornalista [Santiago Andrade, da Rede Bandeirantes, morto depois de atingido por um rojão em uma manifestação no Rio de Janeiro]”, considerou o ministro (Leia mais). 
Foto: Ministro: urgência para projeto (Foto: Cássia Santana/Portal Infonet)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário