segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O ATENTADO CONTRA O CINEGRAFISTA E A DENÚNCIA CONTRA MARCELO FREIRO - ESCLARECIMENTO



O estagiário do advogado que está defendendo um dos acusados de ter lançado o rojão que feriu gravemente o cinegrafista da Rede Bandeirantes, disse que uma ativista teria afirmado que o homem que lançou o rojão seria ligado ao deputado Marcelo Freixo (PSOL).
"G1 
09/02/2014 20h20 - Atualizado em 10/02/2014 08h21 
Estagiário de advogado diz que ativista afirmou que homem que acendeu rojão era ligado ao deputado estadual Marcelo Freixo 
Marcelo Freixo nega conhecer o homem que acendeu artefato. 
Ativista diz que só ofereceu ajuda para o suspeito que está preso. 
O estagiário do advogado que defende Fábio Raposo, que admitiu ter passado o rojão ao homem que acendeu o artefato que atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes, declarou à polícia que recebeu ligações da ativista Elisa Quadros, conhecida como Sininho, e que esta teria dito que o suspeito que acendeu o rojão era ligado ao deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) (Leiam mais). 
No facebook a assessoria de Marcelo Freixo emitiu uma nota: "Advogado que acusa Marcelo Freixo defendeu chefe da milícia.
Vejam que coincidência! 
O advogado Jonas Tadeu Nunes (OAB/RJ 49.987), que me acusou de ter ligações com o homem que detonou o rojão que atingiu o cinegrafista Santiago Andrade, defendeu o miliciano e ex-deputado estadual Natalino José Guimarães, que chefiou a maior milícia do Rio de Janeiro. 
Eis a peça que faltava no quebra cabeça destas acusações absurdas. Natalino foi preso em 2008 graças às investigações da CPI das Milícias, presidida por mim na Assembleia Legislativa. À época, mais de 200 pessoas, entre elas várias autoridades, foram indiciadas. Natalino e seu irmão, Jerominho, que dividiam o poder, cumprem pena em presídios federais. 
Seis anos depois, Jonas apresenta contra mim uma história cheia de contradições e fragilidades. 
O mais assustador é a imprensa repercutir uma informação tão grave e duvidosa sem checar minimamente o histórico da fonte. 
Fonte: pagina marcelo freixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário