quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

SÉRGIO CABRAL, UM GOVERNADOR QUE DESRESPEITA TUDO

O governador Sérgio Cabral se notabilizou nesses sete anos de governo pela prática do desrespeito. Ele faz o que quer, não importa o que esteja previsto nas legislações e nas regulamentações.
Usou e abusou do gasto ilegal do dinheiro público passeando com a família de helicóptero entre Rio e Mangaratiba incontáveis vezes. Pego em flagrante, inventou uma desculpa esfarrapada e parou de usar. Todavia, não resistiu, montou uma desculpa pior ainda, uma orientação dos seus seguranças, para voltar a passear de helicóptero com a família consumindo o nosso dinheiro.
Mandou prender na Penitenciária Bangu 1, construída para abrigar os criminosos mais perigosos do estado, os Bombeiros e Policiais Militares que lutavam por salários justos e por adequadas condições de trabalho, os quais realizavam manifestações pacíficas e ordeiras nas ruas.
Usou a Polícia Militar para reprimir com violência atos dos professores e repetiu a receita nos protestos que ocorreram principalmente no mês de junho do ano passado.
Cabral faz o que quer, esses são apenas alguns exemplos.
Hoje jornais de São Paulo denunciam mais uma violação do governador.
 
"O Estado oestadoce.com.br
09/01/2014 07:20:18
Cabral nomeia tesoureiro do PMDB para fiscalizar transportes
O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), nomeou o tesoureiro de seu partido no estado, Arthur Vieira Bastos, para o cargo de conselheiro da agência reguladora do transporte público fluminense, a Agetransp. O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), nomeou o tesoureiro de seu partido no estado, Arthur Vieira Bastos, para o cargo de conselheiro da agência reguladora do transporte público fluminense, a Agetransp.
Como conselheiro, ele terá a função de fiscalizar empresas cujos sócios doaram mais de R$ 5 milhões para a campanha do PMDB em 2010.
A nomeação de Bastos contraria a lei de criação da agência, que veta conselheiros que exerçam atividade político-partidária.
Na mesma situação encontra-se Carlos Correia, secretário-geral do PDT-RJ, também nomeado por Cabral como conselheiro da Agetransp.
Os casos foram revelados pelo site da revista “Veja”.
Ambos foram aprovados em sabatina na Assembleia Legislativa no fim de 2013 sem que o impedimento legal fosse abordado. Além deles, outros três conselheiros foram aprovados pelos deputados.
O governo do estado afirmou, em nota, que Bastos e Correia entregaram as cartas de desfiliação em dezembro. Ambos, porém, seguem como membros da Executiva Estadual dos respectivos partidos no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Outro conselheiro recém-indicado já havia provocado polêmica. César Francisco Ferraz Mastrângelo atuou até março como vice-presidente da concessionária Metrô Rio.
Antes da nomeação, ele estava lotado como assessor especial da Secretaria da Casa Civil, onde participava de decisões sobre a construção da linha 4 do metrô - que será operada pela mesma controladora da Metrô Rio.
A concessionária Metrô Rio está envolvida em outra polêmica, que atinge Cabral. O escritório de advocacia da primeira-dama, Adriana Ancelmo, representa a concessionária em ações na Justiça. Segundo o governador, os processos não envolvem o estado e não há vínculo entre a contratação e seu cargo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário