terça-feira, 14 de janeiro de 2014

PARQUE CAMPO DE SANTANA: CULTURA, HISTÓRIA E NATUREZA À MERCÊ DO PODER PÚBLICO


Uma munícipe frequentadora do Campo de Santana que também é protetora de animais entrou em contato comigo relatando os horrores pelo qual o Campo de Santana vem passando: sujeira, insegurança, falta de banheiros para uso com a mínima decência para frequentadores e até mesmo funcionários, população de rua, uso como rota de fuga de bandidos, entre outras mazelas.

Na página oficial da Fundação Parques e Jardins, subordinada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o Campo de Santana é definido como um “oásis no movimentado Centro do Rio”.

Será?






Os lindos jardins inaugurados em 1880 hoje servem para ponto de consumo de drogas ilícitas, ponto de repouso de moradores de rua e rota de fuga de bandidos que atuam na Central do Brasil.
 
Nem mesmo os animais que vivem no Campo escapam: pavões, gatos, cutias entre outros acabam se alimentando de lixo (incluindo o hospitalar), ficando intoxicados. Com isso, muitos adoecem e morrem.
Com o propósito de tentar ajudar a melhorar as condições dos animais, frequentadores e funcionários, enviei a varias Secretarias da prefeitura do Rio de Janeiro indicações legislativas requerendo a reforma dos banheiros, melhorias na segurança por intermédio da Guarda Municipal, revitalização do campo, coleta de lixo e a implantação de uma política social frente aos moradores de rua.
Será que a Prefeitura irá nos ouvir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário