quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

ANALFABETISMO, UM MAL QUE O BRASIL NÃO CONSEGUE VENCER



Eu tenho tratado da necessidade imperiosa de que o governo, isso nos três níveis, invista nos serviços públicos e nos servidores públicos, pois não vejo alternativa para um melhor atendimento à população, sobretudo a parcela mais carente.
Qualificar e valorizar o servidor público é o único caminho para termos serviços públicos de boa qualidade, algo que temos direito, pois somos nós os patrocinadores do Estado.
Vale sempre lembrar que os serviços públicos não são grátis, nós pagamos por eles.
Nós pagamos pela escola pública, como pagamos pela escola particular, o que muda é a forma de pagar e quem paga. Os usuários das escolas particulares arcam com os custos, mas todos nós arcamos com os custos das escolas públicas, inclusive quem tem seus filhos em escola particular.
A educação é a base da cidadania, sem ela o cidadão tem dificuldades ao longo de toda sua vida.
O analfabetismo é uma forma de violência contra o povo.
No Brasil estamos afastando as pessoas da condição de cidadãos brasileiros quando o governo não oferta uma educação de boa qualidade.
O governo está criando cidadãos de segunda classe, apartados dos direitos constitucionais.
A nossa luta por um serviço público de boa qualidade faz parte da nossa rotina diária e o nosso gabinete estará sempre aberto para quem quiser ombrear conosco nessa luta cidadã.

"FOLHA DE SÃO PAULO 
Brasil é o 8º país com mais adultos analfabetos, aponta Unesco 
FLÁVIA FOREQUE
DE BRASÍLIA 
29/01/2014 03h00 
Do total de 774 milhões de adultos analfabetos no mundo, 72% deles estão em dez países, entre eles o Brasil. 
A Índia lidera a lista, com um total de 287 milhões, seguido de China e Paquistão. O Brasil ocupa o oitavo lugar. 
Os dados fazem parte de relatório divulgado pela Unesco sobre seis metas para melhorar a educação até 2015. 
Em 2000, 164 países assumiram o compromisso e desde então são monitorados pela ONU (Organização das Nações Unidas). O documento, que será lançado hoje em Brasília e em Adis Adeba (Etiópia), mostra avanços na área, mas aponta "lentidão nesse progresso" -na última década, o número de adultos analfabetos caiu apenas 1%. 
Segundo o Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2012, o Brasil tem 13,2 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais. 
A secretária de educação continuada e alfabetização do Ministério da Educação, Macaé dos Santos, diz que há concentração de analfabetos entre idosos, principalmente em municípios pequenos. 
 "As taxas de analfabetismo têm caído entre a população mais jovem, [mas] o desafio ainda nos preocupa." 
O relatório elogia iniciativas do governo, como o Ideb, indicador de qualidade da educação básica no país. No documento, ele é indicado como "ferramenta-chave" para estratégias na área (Fonte).

Nenhum comentário:

Postar um comentário