quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

2014: O ANO DOS PROTESTOS



O governo, nos seus três níveis de atuação, deve se preparar para o ano dos protestos que acaba de se iniciar.
Os analistas esperam que os protestos que ocorreram no ano passado se multipliquem em face da realização da Copa do Mundo e das eleições.
As estimativas dão conta que não acontecendo nenhum fato que puxe os protestos, o que pode ocorrer no Rio de Janeiro, por exemplo, caso aumentem os preços das passagens de ônibus, os protestos devem se iniciar após o Carnaval e nas proximidades do início da Copa do Mundo.
Tempo não falta para que o governo se prepare no âmbito, federal, estadual e municipal.
Inclusive no que diz respeito ao desenvolvimento das atividades preventivas e repressivas na área da segurança pública, o que se revelou um desastre nos protestos de 2013.
Por sua vez, cabe também ao povo se organizar. Não basta reunir milhões de pessoas nas ruas, sem um mínimo de organização e com a infiltração de grupos que são adeptos do vandalismo, prática que destruiu não só propriedades públicas e privadas no ano passado, mas também impediu a continuidade dos protestos.
O anos dos protestos chegou, eles só têm sentido quando são ordeiros e pacíficos, cabe ao governo se preparar e cabe ao povo se organizar.
O governo deve garantir o exercício de direitos e o povo deve protestar em harmonia com a ordem.
A contagem regressiva está iniciada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário