terça-feira, 17 de dezembro de 2013

RIO: O DILEMA DE DILMA

O GLOBO




No início Cabral criticava Lula, mas Lula apoiou a reeleição de Cabral. Cabral apoiou Dilma. Dilma vive um dilema, não pode apoiar Pezão, o vice de Cabral.
O motivo desse dilema é a altíssima rejeição do governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes no Rio de Janeiro, eles inviabilizaram Pezão. 
Dilma sabe que subir em um palanque para apoiar Pezão, tendo como vizinhos Cabral e Paes, desencadeará uma vaia estrondosa, por mais que se coloque na plateia cabos eleitorais remunerados.
A presidente sentiu isso na carne ao ver vaiada em pleno Maracanã na abertura da Copa das Confederações, repetindo o que aconteceu com seu criador, o ex-presidente Lula, na abertura do Pan-americano de 2007.
Além disso, o petista e senador Lindberg Farias não abre mão de ser candidato ao governo do Rio de Janeiro, embora não obtenha resultados animadores nas pesquisas eleitorais.
Todo esse cenário fez com que a popularidade da presidente Dilma no Rio de Janeiro ficasse menor que a média nacional.
No Rio de Janeiro a presidente Dilma vive um dilema eleitoral: subir no palanque de quem?


Nenhum comentário:

Postar um comentário